15 de outubro de 2018

O que se ganha sendo um idiota? (Crônicas Amarelinhas #1)

NOTA DO EDITOR: Com você, nosso novo colunista do UBQ, o Luiz Filipe Mattos. Ele é de Cricíuma/SC, historiador e advogado. A partir de agora, contaremos com o talento dele aqui para a coluna “Crônicas Amarelinhas”. E por que, “Crônicas Amarelinhas”? Bom… isso você terá que aguardar a sonora do Luiz em nosso próximo Um Papo Qualquer para entender o mistério, combinado? Bora lá?

20181015_luiz_amarelinhas2

Estava almoçando após mais um dia normal de trabalho, sentado na parte externa de um restaurante. Quando observei uma cena digna de filmes dos anos 80, em que o jovem/adolescente mais velho, comete atos de bullying com o garoto mais novo. Nos filmes tal atitude se dá pelo fato de ele ser maior e mais forte e com a ideia de impressionar as garotas. Mas contrariando tal enredo, o nosso protagonista (que nesse caso é o praticante do ato) não era maior, nem mais forte e nem haviam garotas para serem impressionadas.

Vamos aos fatos. Uma criança de idade por volta de 10 a 11 anos, jogava futebol em sua casa, quando a bola caiu para o lado de fora da casa, indo parar no canto da rua. Nesse mesmo tempo passavam dois adolescentes, com idades entre 15 e 16 anos, provavelmente voltando para casa após a aula.

Um dos adolescentes, o protagonista (ou antagonista, se o leitor for adepto do maniqueísmo), foi em direção a bola e pegou-a na mão. Neste mesmo instante, o dono da bola, já estava debruçado no muro, provavelmente pedindo para o adolescente que entregasse a bola pra ele (não consegui ouvir os dizeres de ambos, em virtude da distância que estavam de mim).

O nosso protagonista então em posse da bola, não titubeou e ao invés de devolver a bola na mão do legítimo proprietário, deu um chute na bola para cima com a intenção de jogar a bola mais longe ainda do que ela já estava. Sendo que a distancia dos dois no primeiro momento era de apenas 3 ou 2 metros.

meninonarua

A bola fez uma parábola (parábola com bola, não foi intencional, ou foi) no ar, batendo no muro e caindo novamente para o lado de fora da casa. Como a sacanagem já não fosse suficiente, o rapaz que jogou a bola, se aproximou dela, que estava mais longe do que incialmente, dando a entender que iria pegar a bola e devolver de forma civilizada. Mas ele então desistiu e foi embora. Só restou ao dono da bola, pular o muro, busca-lá e voltar para sua casa. Percebi que o rapaz mais jovem, não esboçou nenhum tipo de protesto ou reclamação. A sensação que tive é que ele já estava acostumado com isso.

Voltei a comer, depois do espanto inicial e comecei a refletir. O que um jovem ganha com essa atitude? Qual a sua recompensa? Qual o seu objetivo ao não devolver a bola? Será que todos os adolescentes tomariam a mesma atitude? Era simples, pegar a bola na mão, andar 3 passos e devolver, mas não. Outras perguntas surgem, quem é culpado disso? A escola? A família? O adolescente?

Não sei responder nenhuma dessas perguntas e isso é frustrante. Enquanto pensamos no futuro de nosso país, com medidas que irão atingir a coletividade, talvez esquecemos de tomar providências com o foco no indivíduo, principalmente para aqueles que irão aproveitar mais esse país no futuro.

14 de outubro de 2018

Há 1 ano nascia o nosso “Um Papo Qualquer” (Um Papo Qualquer #29)

20181014_upq_1ano

[Sobre o episódio]

Comemorar... em bom português, significa “Celebrar”. Significa em amplo sentido fazer uma cerimônia festiva para enaltecer um fato, acontecimento, uma pessoa, etc...

Em 13/10/2017 estreava o nosso podcast Um Papo Qualquer. Um episódio curtinho... apenas 20 minutos, ou mais precisamente 19 minutos e quarenta e oito segundos.

Desde então, são mais de trinta episódios publicados... incluindo aí na conta os episódios especiais sobre a copa do mundo.

E hoje, um ano depois, ainda estamos aqui. E durante este tempo todo falamos sobre um pouco de tudo: tecnologia, música, ficção científica, jogos, personalidades, futebol, sociedade,  comportamento, séries de tv, cotidiano... Ufa... falei sobre tanta coisa!

É claro... algo tão especial precisa ser comemorado. Precisa ser relembrado. Junto com os entes queridos, com os amigos. Com você, que me estimulou e ajudou a chegar até aqui.

Quero então convidar você a participar deste episódio tão especial para mim. Podemos começar?

[Links]

[Ficha Técnica]

[Nome do episódio] Um Papo Qualquer… Há 1 ano no ar!
[Publicação Original] 14/10/2018 - [Duração] [55’52"]
[Formato] MPEG-1/2 Audio Layer 3 (mp3@128kbps)
[Músicas] "Funky Suspense" by Bensound (https://www.bensound.com); “Ocean”, “Road Trip”, “Sax”, “Sommar” by Ehrling (http://soundcloud.com/ehrling); “Prelude” by The Fat Rat (https://soundcloud.com/thefatrat); “Come Home” by Declan DP (https://soundcloud.com/declandp); "Chatting" by Free Stock Music.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...