31 de dezembro de 2009

Preparativos para o Ano novo

Em mais alguns minutos desligarei o computador, tomarei um banho e irei até a casa da minha noiva passar a virada do ano por lá. Comerei lentilha, brindarei com espumante e torcerei por mais um ano em minha vida.

Um ano em que eu espero concluir algumas etapas. Espero finalmente me casar. Espero entrar na faculdade mais uma vez. Espero emagrecer. Espero pagar minhas contas.

Espero tanta coisa.

Este ano não foi um ano ruim. Afinal, eu estabeleci algumas metas e as cumpri. Agora preciso cumprir minhas novas metas.

De qualquer forma, hoje é dia para não pensar em problemas ou soluções, mas agradecer por estar aqui mais uma vez com a oportunidade de refazer meu caminho e desta vez, acertar.

Feliz ano novo. De coração, espero que alguém tenha a paciência de ler meu blog e que goste do que é escrito aqui.

Até 2010.

29 de dezembro de 2009

Resoluções de Ano Novo…

Muita gente promete uma série de coisas na virada do ano: parar de fumar, beber menos, emagrecer, exercitar-se, entrar na faculdade, voltar para a faculdade, terminar a faculdade, encontrar um grande amor… ufa… tanta coisa.

Acho que não sou diferente das outras pessoas. Quero algumas coisas para o ano que vem e pretendo cumprir algumas metas. Quero registrar no blog porque será uma maneira de cobrar e avaliar o ano de 2010 quando 2011 chegar.

Então, vamos lá. Estas são algumas que pretendo realizar:

  • Entrar na faculdade de biologia na USP: estou a caminho. Ainda falta a segunda fase. Espero que tudo dê certo
  • Emagrecer… para casar, pela saúde, por mim, pela Ana Paula
  • Economias: controlar melhor as contas, planejar melhor os gastos e formar uma poupança. Se possível, entrar em 2011 sem nenhuma dívida “fútil”.
  • Terminar a construção da casa e casar…

Se eu vier a me lembrar de mais alguma coisa, postarei ainda este ano.

E lembrem-se, vou fazer o balanço geral no final do ano que vem…

Recesso de fim de ano…

Esse período entre o Natal e a virada do ano é algo realmente estranho. Você fica em um “compasso de espera”. Nada acontece… o comércio é morno. Ninguém vai a lugar nenhum. Você quer esperar a virada do ano para as grandes resoluções, enfim… um recesso total.

Sim… estou em um marasmo incrível. A única coisa que me ajuda são os estudos para a 2ª fase da Fuvest.

24 de dezembro de 2009

Natal…

Quando era pequeno eu passava o Natal na pacata cidade de Mogi-Mirim. Ali moravam os pais da minha mãe. Não havia uma celebração tradicional com ceia, troca de presentes e coisas do tipo. O Natal para mim era apenas mais um final de semana prolongado onde meu pai comprava um ou mais presentes que eu escolhia previamente.

Depois de um tempo, meus avós vieram para São Paulo e por muitos anos não havia a comemoração típica de Natal. Em 1990 eu fui convidado a passar a noite de Natal na casa de uma ex-namorada mas eu sequer conhecia a família dela direito (sabe como são esses namoros do tempo do colégio? Pois é…).

Já o Natal de 1995 foi marcante porque foi o primeiro Natal que agradeci por um presente: a saúde de minha mãe. Naquele ano, passei a noite de Natal no hospital onde ela se recuperava de uma grande cirurgia.

Os Natais seguintes foram confusos. Muitas vezes fiquei em Campinas sozinho. Em uma destas noites solitárias fui surpreendido pelos meus pais que foram até me buscar pois não achavam justo eu passar o Natal sozinho. Para variar, não houve festa de Natal. Mas foi a primeira vez que vi meu pai pensando nesta data como algo especial para a família.

Em 2004, um momento ruim. Naquele ano eu teria meu primeiro Natal com a Ana Paula. Mas uma discussão de última hora (bem de última hora mesmo) fez com que ficássemos longe um do outro. E isso quase custo nosso romance…

Desde então tenho passado meus Natais ao lado de minha noiva e sua família. Uma noite com ceia de Natal, troca de presentes e uma celebração para a família.

E porque estou escrevendo tudo isso? Oras… é Natal. Por que eu iria escrever algo crítico? Quero aproveitar meu Natal ao lado de minha futura mulher. Apenas isso.

Feliz Natal à todos.

18 de dezembro de 2009

Medicina aos 60 anos…

Passou no “Globo Repórter”. Uma mulher aos 60 anos de idade vai para a faculdade de medicina. Nada mau. Será médica aos 65…

Na reportagem, ela explicou que chamaram ela de maluca quando decidiu-se por estudar medicina em uma idade tão avançada…

Bom… pelo menos não sou o único maluco neste mundo. E olha que eu estou somente com 35 anos.

A força de uma ameaça

Imagine o seguinte: você acaba de sair do seu trabalho e vai até o estacionamento pegar seu carro. O carro está lá, sem nenhum arranhão. O problema é que justamente na entrada do estacionamento há um carro parado bloqueando sua saída.

Você se pergunta o que pode ser feito… olha para os lados, procura pelo motorista descuidado, começa a articular o pedido para retirar o carro educamente, mas nada do dono aparecer.

Aí, depois de algum tempo, surge uma viatura policial. A viatura para para verificar o que está acontecendo. Você explica rapidamente e eles resolvem autuar o cidadão imprudente.

Milagrosamente surge o motorista. Estava no estabelecimento em frente a escola, numa espécie de festa, comemoração, enfim…

Os argumentos do motorista de nada adiantam. Ele é multado. O cidadão então se vira para você e solta a seguinte frase: “Obrigado, hein?”. E em seguida: “Obrigado por avisar. Mas pode deixar, você não perde por esperar…”

Bom, isto aconteceu comigo hoje… e agora fico me perguntando o que não vou perder por esperar…

Complicado isso… você tenta seguir as regras da sociedade e aí alguém que se julga melhor do que você e acima das leis resolve ameaçá-lo. O problema não está na ameaça em si, mas no que está por vir: o desconhecido. Você não sabe se ele vai puxar um pedaço de pau ou uma arma. Não sabe se ele jogará uma pedra ou mandará alguns amigos para te dar uma surra.

Sou grande e acho que me garanto numa briga. Mas em igualdade de condições. Contra uma arma ou então contra um grupo de pessoas, fica um pouco mais difícil. Medo? Não… não se trata disso. Mas é que ao pensar bem, concluo que tenho muito mais a perder do que o cara…

E aí você percebe o quão forte pode ser a ameaça vinda de uma pessoa que você nunca viu em sua vida…

17 de dezembro de 2009

Um dia de palmeirense


Em uma daquelas faxinas “programadas” achei uma foto que me fez lembrar de um momento bem engraçado na minha vida. O ano era 1993 e eu estava no cursinho.

Naquele ano, o Palmeiras havia montado um grande time e Luxemburgo mostrava ser um técnico brilhante.

O problema é que sou corinthiano…

Na ocasião os dois times chegaram a final do Campeonato Paulista. O Palmeiras estava em uma longa espera (se não me engano, 16 anos sem títulos). E para ajudar, o Corinthians vencera a primeira partida da decisão por 1 x 0. Com direito a uma performance do Viola imitando um porquinho chafurdando (existe esta palavra?) na lama.

Obviamente estávamos muito… muito confiantes mesmo.

Claro que eu e outros corinthianos da sala tiramos um grande sarro dos palmeirenses. Mas, em algum momento, um de nossos colegas resolveu apostar comigo que o Palmeiras não só venceria o Corinthians no segundo jogo, como daria um espetáculo.

Os termos da aposta: se o Corinthians fosse campeão, eu ganharia uma camisa oficial do Corinthians. Se perdesse por mais de três gols, eu deveria passar o dia inteiro usando a camisa do palmeiras. Mas não qualquer camisa. A camisa que esse colega (que o tempo fez com que eu esquecesse o nome) assistiria o jogo.

Pra lá de confiante, aceitei a aposta. Com direito ao professor de matemática (no caso, o Glenn) como testemunha da aposta.

E então o jogo aconteceu…

Bom, o Palmeiras não só venceu como goleou o Corinthians por sonoros 4 x 0. Jogou e (devo reconhecer) deu um espetáculo e tanto de futebol.

Na segunda-feira, ao chegar no Anglo, a camisa já estava sobre minha cadeira. Para ajudar, a primeira aula do dia era do Glenn que ao entrar na sala lembrou que no país dele (ele é holandês) as pessoas costumam honrar suas apostas.

Oras bolas… aposta é aposta! Mas como aquela camisa fedia… meu Deus!

A foto que ilustra o post é o registro daquele dia. Ao meu lado, o Robert e o Binho. Grandes amigos daquela época.


15 de dezembro de 2009

FUVEST

A luta continua… estou na segunda fase.

Agora é oficial.

11 de dezembro de 2009

Absurdo

Eu (e todo mundo) já sabíamos que a moça da Uniban era exibicionista e queria seus 15 minutos de fama…

Agora, exigir R$ 1.000.000,00 de indenização? Convenhamos…

6 de dezembro de 2009

Faxina Geral (Parte 2)

Não é curioso como temos uma tendência doentia de guardar tralhas que sequer utilizaremos novamente?

Alguém já ouviu falar de “Magic: The Gathering”? Pois é… eu jogava isso, e muito. Comprei um punhado de cartas… umas cinco mil para ser honesto. E agora o que fazer com toda esta tranqueira?

A bagunça não pára por aí. Além da minha sucata de eletrônicos e das cartas ainda tenho uma tonelada de revistas em quadrinhos antigas. Algumas em bom estado. Pretendo separar as postas e catalogar.

Mas as ruins… tudo para o lixo.

4 de dezembro de 2009

Fatos da vida

Quando somos crianças, não sabemos muito bem porque viemos parar aqui. Choramos quando estamos incomodados, rimos à toa e pensamos… ora bolas! Não pensamos, apenas vivemos.

Entretanto, em algum dia de nossas vidas, questionamos o sentido dela. Por que afinal estamos aqui? O que queremos? Para que faremos? Como faremos?

Muitos crescem, estudam, decidem fazer algo durante toda a vida, escolhem uma (ou mais de uma) pessoa para amar. Tem filhos, trabalha para sustentá-los. Procurar ter coisas boas, conforto, prosperidade. Enfim, a vida de um modo tranquilo. Algo que justifique tudo pelo que passamos.

E se nada disso acontece?

Frustração? Medos? Decepções?

Bom… um tanto confuso não acham? Mas é como estou me sentindo. Confuso. Tive muitos objetivos, muitos sonhos e nenhum se concretizou. Poucas coisas deram certo.

Aí ficamos assim… confusos.

São fatos da vida… apenas isso.

Desculpem mais uma vez.

23 de novembro de 2009

Esclarecendo…

Apesar de eu ter passado em Medicina (e não só na Fuvest, mas na Unicamp e na Unesp também) a resposta é “não”. Eu não me formei em medicina e muito menos sou médico. Bem longe disso…

E a a resposta também é “não”. Eu não desisti de ser médico…

60 pontos

Hoje fiz o vestibular da FUVEST. Concorro à uma vaga no curso de Ciências Biológicas na USP. Meu último vestibular foi em 1994 quando fiz 118 pontos (em um máximo de 160) e fui aprovado no vestibular para medicina.

As coisas mudaram um pouquinho nestes 15 anos. Naquela época, fiz Anglo (Extensivo manhã) financiado em grande parte pelo meu pai (apesar da bolsa de 50%). Só estudava e não precisava pagar contas nem trabalhar. Vivia para estudar.

Desta vez, sem muitos recursos, não pude fazer um cursinho. Consegui as apostilas do Anglo mais recentes comprando-as em um sebo no centro da cidade. Outras, eu consegui emprestadas. Também peguei alguns livros didáticos atuais emprestados na escola em que trabalho. E a internet foi uma grande ajuda. Consegui aulas em vídeo de vestibulares (Vestibulando Digital e similares) e muitas provas simuladas.

Não pude apenas viver para estudar pois tenho contas (e muitas para pagar). Hoje, trabalho como secretário de escola e isso me toma boa parte do tempo. Desaprendi muito sobre organização e método e esqueci muita coisa.

Tenho que confessar que eu me preparei a “toque de caixa”. Seria vergonhoso fazer um vestibular assim nas condições de 1994.

Mas hoje fiz 60 pontos em 90 possíveis (é… a FUVEST mudou um pouquinho nos últimos 15 anos). Não é um resultado tão ruim. A nota de corte no ano passado foi exatamente 60 pontos. O que significa que posso não ter passado.

E também significa que posso ter sim, ingressado na 2ª fase da FUVEST.

Talvez, no dia 12 (data da divulgação dos aprovados) eu não tenha motivos para comemorar. Vou me preparar para a segunda fase mesmo sem saber o resultado ainda. Mas posso ficar feliz.

Afinal, hoje eu fui lá e fiz a prova não como um mero participante, mas como um candidato em igualdade de condições a outros tantos que buscam uma vaga na USP.

Eu ainda estou na disputa. E eu não vou desistir.

19 de novembro de 2009

Fuvest chegou

É no domingo… e lá estarei eu.

Uniban x Geisy x Opinião Pública

O assunto é realmente controverso. Alguns veículos de mídia criaram a idéia de que foi ferida a liberdade de uma pessoa. A faculdade agiu pensando nas conseqüências financeiras. E a garota está se aproveitando do momento de fama.

A faculdade está errada em punir a aluna sim. A aluna está errada em ir à faculdade utilizando um traje como aquele. E a opinião pública está criando a falsa idéia de que a garota não está querendo se promover com todo este rebuliço.

Francamente… exigir perimetro de segurança… quer se mostrar? Faça um ensaio nu, tente a carreira de modelo fotográfico.

Sem falsos moralismos e sem falsas liberdades.

10 de novembro de 2009

5 minutos de fama

A situação: uma estudante vai a faculdade com um vestido exageradamente curto. Resolve desfilar pela universidade com o traje quase sumário e arruma confusão por conta disso. Dá e recebe xingamentos e comporta-se de modo descabido em um ambiente que deveria ser um pouco (para ser delicado) organizado.

Depois, a universidade resolve expulsar a aluna por conta de sua atitude no dia do problema. Em minha opinião, um exagero.

Mas, exagero maior cometeu a aluna, que requereu um perímetro de segurança de 2 km ao redor da universidade e abono de suas faltas. Como bem definiu o vice-reitor da instituição, não se trata de uma pop star. É um absurdo tal tipo de exigência.

No final, a estudante conseguiu o que queria: aparecer.

Ganhou 5 minutos de fama. E de quebra, ganhou fama de vadia.

9 de novembro de 2009

Histórias de vida

Ontem estive em um aniversário. Como sempre, o tradicional de uma festa: música, comida, bebida, convidados, crianças correndo, crianças pulando, crianças gritando. Enfim… uma típica festa de aniversário.

Bom, lá pelas tantas, rodaram um vídeo homenageando a aniversariante. Fotos e vídeos de sua história de vida. Lugares pelos quais passou, momentos marcantes, vitórias, conquistas, viagens. Algo legal para se lembrar.

Então pensei como faria se eu estivesse no papel de aniversariante. Lembrei-me das coisas boas e ruins. Lembrei-me dos acertos e dos erros. Lembrei-me de tanta coisa de que sinto falta. Lembrei-me de tanta coisa que não fiz no momento certo.

E então concluí que assim é a vida. Nem sempre tudo o que planejamos acontece. Nem sempre tudo o que desejamos se realiza. E nossa vida se constrói dia a dia.

Tudo o que posso dizer é que se fosse fazer um vídeo como esses, eu contaria não só as coisas boas, mas as ruins também. Afinal, é a soma de todas elas que fizeram chegar onde estou.

26 de outubro de 2009

Livre Arbítrio

O texto não é meu… mas é bom.

Hoje, levantei pensando no que tenho que fazer antes que o relógio marque meia-noite. É minha função escolher que tipo de dia terei hoje.

Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer as águas por lavarem a poluição.

Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças evitando desperdício.

Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido.

Posso reclarmar por ter que trabalhar ou agradecer por ter trabalho.

Posso sentir tédio com as tarefas de casa ou agradecer a Deus por ter um teto para morar.

Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades.

Se as coisas não sairem como planejei, posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar.

O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser…

E aqui estou eu… o escultor que pode dar forma… tudo depende só de mim.

A autoria desde texto é de Charles Chaplin.

22 de outubro de 2009

Blog parado…

Um pouquinho… mas é que as coisas andaram bem corridas.

Novidades? Sim, algumas… mas contarei com calma.

Opiniões? Sim, muitas… mas preciso de tempo para escrevê-las.

Eu chego lá…

13 de setembro de 2009

A Fórmula 1 também tem seus podres

Hoje teve corrida. O GP da Itália viu a Brawn brilhar e fazer uma dobradinha. Desta vez, Barrichello venceu e Button chegou em segundo. Uma estratégia muito boa que funcionou. Vitória mais do que merecida.

Agora, a notícia mesmo foi o escândalo envolvendo Renault, Flávio Briatore e Nélson Piquet Jr., também conhecido como Nelsinho. No ano passado, durante o GP de Cingapura, Nelsinho provocou uma batida que causou a entrada do Safety Car. Esta manobra favoreceu seu companheiro de equipe (Fernando Alonso) que ganhou a corrida.

Nelsinho nunca teve um bom histórico na F1. Seus resultados medíocres culminaram com sua demissão neste ano antes mesmo do final da temporada. Aí surge a denúncia, surge a confissão, surge o escândalo.

Não foi a primeira, nem a última marmelada da F1.

Seu pai, Nelson Piquet, apesar de tricampeão mundial também utilizou táticas “questionáveis”, como por exemplo usar lastro nos carros para não ter problemas de pesagem. Michael Schumacher foi campeão por 7 vezes e alguns destes títulos vieram com a providencial ajuda da equipe que favoreu o alemão prejudicando a corrida de seu companheiro de equipe (Barrichello). Senna foi campeão pela McLaren jogando seu carro para cima de Alain Prost, que no ano anterior fez a mesma coisa. Aliás, Prost em 1993 proibiu contratualmente que Senna fosse para a Williams o que permitiu a conquista de seu quarto título mundial já que na ocasião Senna estava em uma McLaren tecnicamente inferior. Aliás, a McLaren sofreu punições por espionar a Ferrari em 2007.

O que dá para concluir é que a Fórmula 1 está longe de ser um esporte de cavalheiros. Bons pilotos, boas equipes e muito dinheiro em jogo. E o dinheiro fala mais alto.

Entre um problema e outro, a única boa notícia é que finalmente Rubens Barrichello pode lutar por um título mundial em igualdade de condições sem que marmeladas favoreçam um ou outro piloto. Mas não vamos nos esquecer: o diretor da equipe é Ross Brawn. O mesmo que comandava a Ferrari na época em que Schumcher e Barrichello eram os pilotos da Ferrari.

30 de agosto de 2009

GP da Bélgica – Spa-Francorchamps

Muito alarde para a quarta posição de Barrichello no grid. Quem acompanhou os treinos viu que a Ferrari estava mais consistente. Pessoalmente, apostava no Raikkonen. E acertei. Não esperava muito do Fisichella e errei feio.

Barrichello largou mal (não sei se por erro, ou falha do carro) e caiu para último. Por sorte, logo em seguida um acidente permitiu a entrada do safety car e com isso ele pôde refazer sua estratégia. Ainda com mais sorte, o Button estava entre os acidentados e ficou fora da prova.

O piloto brasileiro fez uma boa corrida de recuperação e o “plano B” funcionou. No final, um susto: um vazamento de óleo a três voltas do final quase o tirou da prova. Mas mesmo assim ele conseguiu levar o carro até o final na sétima posição. Mostrou muita competência. E diminuiu um pouco a diferença. Ainda está na briga do título. Difícil, mas torço por ele.

Resultado final: 1º Raikkonen, 2º Fisichella, 3º Vettel. Leiam a reportagem no Terra.

Funcionário Público… vocação ou necessidade?

Um dos chavões populares diz que “Todo funcionário público é encostado”. Quem é funcionário público fica mordido com a fama de preguiçoso e incompetente e tenta desfazer a má fama. A questão é: será que a fama é merecida?

Bom, eu sou funcionário público. Trabalhar para o Estado nem sempre significa trabalhar com aquilo que se pretende. As funções disponíveis na maioria das vezes são burocráticas e/ou mal remuneradas. Outro fator é que muitas vezes o setor privado paga melhor. Assim, um médico ou um engenheiro ganhará mais trabalhando no setor privado do que no público.

Para algumas funções de nível médio, a situação é ainda pior. Pois a remuneração é ruim em ambos os casos (público ou privado) e aí, a escolha pelo público recai na questão da estabilidade. Pelo menos o emprego público é garantido…

A consequência é que em sua maioria, funcionário público está lá trabalhando em determinada função pelo salário. E apenas pelo salário. Dane-se a vocação… dane-se a dedicação. Infelizmente, muitos pensam assim.

Isso gera muitos problemas. O principal deles, em minha opinião, é que o serviço é executado por pessoas desmotivadas que só estão pensando em seu salário e não gostam nem um pouco do que fazem. Em uma escola por exemplo: alguns professores por motivo de saúde são readaptados para trabalhar em outras funções. Então vão para – de acordo com meu exemplo – para a secretaria da escola. Trabalham mal, sem dedicação e de forma pouco produtiva e eficiente.

Aí, alguém pode estar pensando que uma boa conversa pode resolver a situação. Ledo engano. O fato de que na coletividade impera o a filosofia do “trabalho mínimo” faz com que quem queira trabalhar de verdade seja visto com desconfiança e até mesmo como um inimigo.

Nesta luta pelo trabalho competente contra o desinteresse pela eficiência e o bom trabalho, o mais comum é que as pessoas desistem de mudar e acabam adotando a máxima “se não pode contra eles, junte-se à eles” ou então desistem e procuram outra coisa para fazer.

Dinheiro é importante? Claro… sem ele não podemos continuar a tocar nossas vidas. Não podemos realizar projetos. Mas o salário, o dinheiro é só parte da vida. Será que ninguém se importa em fazer um bom trabalho e poder encostar a cabeça no travesseiro a noite e dormir tranquilamente sabendo que fez o seu melhor?

Eu não vou desistir…

27 de agosto de 2009

Xuxa e suas idiotices…

Tudo bem… é natural que uma criança de 10 anos ainda se atrapalhe com algumas palavras. Quem nunca cometeu um erro ao escrever uma palavra que atire a primeira pedra.

Mas, honestamente, achei que ela foi muito arrogante (como sempre é, aliás…) ao informar que a filha foi alfabetizada em inglês.

E daí? Grande coisa…

Sasha tem muito a aprender sobre a língua portuguesa. E a Xuxa tem ainda muito o que aprender sobre humildade.

Que mulher petulante…

23 de agosto de 2009

Schumacher ou Senna?

Hoje teve GP da Europa. Hoje deu Barrichello. E como sempre, surgiram vozes contra e a favor do piloto. Uns dizem que ele é talentoso. Outros que ele é um fiasco.

Obviamente, surgem discussões também sobre quem foi o melhor: Senna ou Schumacher. Inclusive nesta semana, uma revista inglesa divulgou uma lista com os melhores 50 pilotos de todos os tempos. Schumacher é o primeiro, Senna é o segundo. Tanto o Felipe Massa como Rubens Barrichello estão nesta lista também.

Não sou uma autoridade em F1, mas sempre assisti às corridas desde 1984. Acompanhei a ascensão de Prost, o triunfo de Piquet, a consagração de Lauda, os azares do Mansell, o surgimento do Schumacher, a sorte do Hill entre outros bons pilotos.

Não dá para dizer quem é o melhor. O ano em que eles competiram diretamente foi o ano em que o Senna morreu e sendo assim, nunca existirá uma comparação direta.

Desta forma, eu proponho uma divisão em três categorias: os gênios, os bons pilotos e o resto.

Claro que minha lista não incluirá gênios como Jim Clark ou Graham Hill pois minha história com a F1 vem depois desdes grandes campeões (ou até Gilles Villeneuve que era extraordinário, mas nunca foi campeão).

Sendo assim, e correndo risco de críticos despreparados, lá vai:

  1. Gênios absolutos: Alain Prost, Ayrton Senna e Michael Schumacher
  2. Bons pilotos: Nikki Lauda, Heinz Harald Frentzen, Rubens Barrichello, Felipe Massa, Nigel Mansell, Gerhard Berger, Mikka Hakkinen, Elio de Angelis, Nelson Piquet, Keke Rosberg, Robert Kubica, Mika Hakkinen, Andrea de Cesaris, Michelle Alboreto
  3. Aparentam ser melhores do que realmente são: Juan Pablo Montoya, Damon Hill, Kimi Raikkonen (apesar de ser campeão mundial), Lewis Hamilton (idem), Jean Alesi, JJ Lehto, Jos Vestarpen, David Coulthard, Jacques Villeneuve.
  4. O resto

Vou reler um pouco sobre a história da F1, quem sabe mudo alguma coisa nesta lista…

Ainda muito rápido…

Usain Bolt venceu… de novo. E com recorde mundial. Venceu nos 200m rasos. Também venceu o revezamento 4x100m na equipe da Jamaica. Sem recorde.

Mas não deixa de ser impressionante. Até onde ele pode chegar?

GP da Europa (Valencia – Espanha)

É muito provável que os críticos de plantão “afiem suas penas” e escrevam sobre a “sorte” de Barrichello ao invés de parabenizá-lo.

Sim, Rubens Barrichello venceu o GP da Europa. Hamilton em segundo e Raikkonen em terceiro.

Não acho que tenha sido sorte. Acredito em talento. Sim, fale o que quiserem, mas é um fato inegável: ele é bom. Provável que não seja o melhor. Mas decididamente é um bom piloto de Fórmula 1.

E ele venceu. Venceu usando tática, venceu usando o carro, venceu usando o talento.

Parabéns! É a sua 10ª vitória. A 100ª vitória brasileira na F1.

21 de agosto de 2009

Incoerência política

Ontem postei minha posição sobre  a crise política desencadeada pelo Senador José Sarney (PFL/AP) e a posição do Senador Aloysio Mercadante (PT/SP) ao qual eu confiei meu voto em 2002.

Terminei meu comentário declarando que se ele mantivesse sua decisão em sair do partido eu teria certeza de que não teria desperdiçado meu voto.

Cometi dois erros graves.

O primeiro foi supor que a saída seria do partido. Na verdade, ele sairia apenas da liderança do governo no Senado Federal e não do PT.

O segundo foi acreditar que meu voto em Aloysio Mercadante não seria em vão.

Aprendendo com os erros… pena que por culpa deste erro, o Brasil teve um mau representante do povo por 8 anos.

20 de agosto de 2009

Vale a pena…

Leiam isto aqui… vale a pena:

Coerência política

Há quase 8 anos atrás tomei um decisão que contrariava muitas das minhas convicções políticas: resolvi votar em Aloizio Mercadante (PT/SP) para o Senado Federal. Meu outro candidato seria José Aníbal (PSDB/SP).

Sempre que opinei sobre discussões políticas dentro da faculdade eu tentava ao máximo expressar uma opinião apartidária. Que fosse coerente com a situação atual e não contrariasse minhas crenças e ideais.

Desta maneira, na época a decisão me pareceu bastante acertada. Afinal de contas, acredito que toda unanimidade é burra. E que para cada opinião, temos que ter uma visão contrária. Desta forma, podemos todos crescer com o debate de idéias.

Assim, votei em meus candidatos do PSDB para os diversos cargos da ocasião (Presidente, Deputados e Governador) e para Senador, optei pelo Aloizio. A princípio, a decisão me pareceu equivocada: obviamente ele apoiou incondicionalmente o Presidente Lula e muitas de suas decisões absurdas. Além disso, protegeu o governo de diversas formas quando surgiram escândalos que colocavam em xeque a credibilidade do governo.

Nestes últimos dias, acompanhei com certa apreensão a impunidade no Senado em relação ao Senador José Sarney (PMDB/AP). Este canalha hipócrita (não consigo encontrar um termo menos correto) que tem sede de poder e transformou o estado do Maranhão em seu curral político e que transformou o Senado Federal em um cabide de empregos para familiares e amigos. O Conselho de Ética livrou a cara do Sarney, arquivando as denúncias que o acusavam. Mais uma pizza para a grande pizzaria chamada Brasília tendo como pizzaiolo-mor nosso presidente barbudo.

Agora me ocorreu que o barbudo salvou o bigodudo…

Bom, alguns políticos mostraram ter vergonha na cara. Marina Silva saiu do PT depois do embate que teve com a Dilma. Um nome que eu desconhecia – Flávio Arns (PT/PR) – também saiu do partido envergonhado com a impunidade que o PT preparava para Sarney. E agora o Mercadante anuncia que deixará a liderança do PT no Senado.

Se ele decidir sair do partido, pelo menos terei a tranquilidade de finalmente poder acreditar que meu voto – há quase 8 anos atrás – não foi em vão.

18 de agosto de 2009

Rápido… rápido mesmo.

Pense em algo que você poderia fazer em apenas 10 segundos. Este foi o tempo que eu levei para escrever este parágrafo.

Não consigo pensar em que eu poderia fazer neste curto espaço de tempo. Um pensamento sobre a vida? Uma piada de última hora? Ir até a cozinha buscar um suco? Não… eu levaria mais tempo que isso.

Eu fiquei simplesmente assombrado com o que fez o jamaicano Usain Bolt. Ele percorreu 100 m em apenas 9”58 na final dos 100m rasos do Mundial de Atletismo. Novo recorde mundial. Lembro que em 1988 um canadense bateu o então recorde mundial de 9”93 nos Jogos Olímpicos de Seul. Ben Johson correu sob efeito de doping e assombrou o mundo naquela época e cravou 9”83 mas teve seu recorde anulado quando descobriram o doping.

Aliás, se tomarmos os resultados dos três primeiros colocados desta prova, o maior tempo foi 9”84, ou seja, se estes três atletas estivessem na prova de Seul, o recorde mundial seria simplesmente fulminado.

Para completar, o próprio Bolt prometeu: em dois anos pretende correr abaixo de 9”40.

Impressionante.

16 de agosto de 2009

Igreja Universal versus Rede Globo

Esta briga é antiga. Em 1999 a Rede Globo veio a plena carga com argumentos contra a Igreja Universal do Reino de Deus. Dízimos forçados, denúncias de mau uso das doações, irregularidades na administração da igreja e outras acusações.

Não é a primeira vez que a emissora carioca, incomodada com a constante queda de audiência e o consequente avanço da Record, tenta atingir seu principal motor: a igreja.

Esquecendo por alguns minutos a fé dos fiéis que inegavelmente é verdadeira e jamais poderia ser questionada como certa ou errada (afinal, o Brasil é um país onde a liberdade de culto é preservada constitucionalmente), pensemos apenas na estrutura da igreja. Não é necessário muito brilhantismo acadêmico para perceber que realmente há algo errado ali.

A igreja enriqueceu, o bispo enriqueceu, a Record cresceu. O dinheiro angariado por meio das oferendas tinha que ir para algum lugar. Os canais de televisão serviram como lavanderia. O dinheiro pago pelos horários alugados à igreja ia para a televisão que por ser uma empresa comercial, gerou lucro. E por meio deste lucro, o bispo enriqueceu. Montou até um segundo canal de notícias.

Esquecendo também por um momento o desespero da Globo é verdade que a qualidade da emissora melhorou. Bons seriados (House, Monk, CSI, entre outros…), boas novelas (pelo menos na produção), uma grade de programação estável e bons patrocínios (que aliás, renderam os direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos de Londres; um duro golpe para a Globo). A Record copiou a receita de sucesso da Globo e está se dando muito bem.

A questão de tudo isto é: a Globo pretende derrubar a ascensão da emissora concorrente ou denunciar uma igreja que abusa da fé dos seus fiéis?

Porque se a questão é denúncia, a Globo também não tem um passado muito saudável. Basta lembrarmos da manipulação dos debates políticos de 1989 em favor de Fernando Collor, da guerra de bastidores pelos direitos de transmissão do futebol nas copas e nos campeonatos brasileiros (que chegou mesmo a gerar campeonatos paralelos), da sua parcialidade durante o período do regime militar em que a sua supremacia na televisão foi absoluta dado o favorecimento político que o regime lhe proporcionava.

A Globo deveria fazer as duas coisas: uma denúncia consistente contra o abuso da fé dos fiéis da Igreja Universal e melhorar sua programação com atrações melhores. E a Record cresceu. Poderia tentar andar pelas próprias pernas e não com o dinheiro do dízimo.

A briga vai longe.

10 de agosto de 2009

Caos no transporte de SP

Era uma reprise, mas dei sorte de assistir hoje ao programa Roda Viva que foi exibido em 03/08. O entrevistado foi o Secretário Municipal de Transportes da cidade de São Paulo, Sr. Alexandre de Moraes.

Não é novidade que o transporte público em São Paulo e o trânsito como um todo é um verdadeiro inferno: desrespeito às leis de trânsito, transporte público de má qualidade e em quantidade insuficiente, péssima distribuição dos itinerários… a lista é longa. A palavra “caos” resume bem a situação aqui na cidade.

Bem é verdade que algumas coisas estão sendo feitas. O metrô está em expansão. Existe um projeto consistente de expansão dos corredores de ônibus. O rodoanel está tomando forma. Aumentaram o tempo de utilização do bilhete único. Até mesmo a idéia da ciclovia na Radial Leste e os bicicletários nas estações do metrô mostraram-se eficazes.

Mas nem tudo tem sido bem planejado. O melhor exemplo é a nova lei para o transporte privado (ônibus fretados) que foram restritos a áreas de circulação que pouco contribuem para melhoria do transporte. Um efeito colateral desta medida é aumentar ainda mais a lotação do metrô e fazer com que muitos voltem a utilizar seus automóveis, aumentando ainda mais o trânsito.

Entretanto, o secretário parece não ter conhecimento da situação real do transporte público em São Paulo. Ao afirmar que a situação do transporte público está apenas “um pouco complicada” no momento em que ele foi solicitado a responder diretamente sobre isso, ele caiu em total descrédito.

Talvez o senhor secretário aprendesse um pouco mais sobre o transporte público da cidade se ele experimentasse embarcar no metrô por volta das 07h00 ou embarcasse em um ônibus no extremo sul da cidade em direção ao centro no mesmo horário.

Aliás, os administradores públicos deveriam experimentar de vez em quando os serviços oferecidos por eles: deveriam usar o metrô, ir a um posto de saúde, embarcar em um ônibus, ir a um cartório eleitoral, ao posto da previdência social.

Quem sabe eles aprenderiam um pouco mais sobre a realidade do Brasil.

9 de agosto de 2009

Propagandas antigas – O Tio da Sukita

Vez ou outra fico no YouTube procurando vídeos interessantes. Gosto principalmente dos vídeos de propagandas antigas (década de 1980 e 1990). Em minha opinião são ótimas em criatividade, conceito e venda do produto.

Uma muito legal é aquela do “Tio da Sukita”: um homem na faixa dos quarenta anos de idade se encanta por uma garota na faixa dos dezoito e tenta se enturmar com ela agindo jovialmente. Invariavelmente ela o despacha chamando ao final de “Tio”. A propaganda em si é ótima.

O que eu não sabia é que um tempo depois a dupla que encenou a campanha da Sukita fez uma campanha para o Classe A, veículo produzido no Brasil pela Mercedes-Benz. Obviamente, tratava-se de um carro para um segmento mais adulto e de maior poder aquisitivo. E é então que o “Tio da Sukita” se vinga da garota. Genial…

Quer ver? Vá ao You Tube:

4 de agosto de 2009

Argumento brilhante

Na TV, o programa “Todo Seu” do Ronnie Von na TV Gazeta. Entre seus convidados, Heródoto Barbeiro (âncora do Jornal da CBN) disse uma frase perfeita sobre educação: “É assustador pensar que o sistema de ensino superior atualmente está se ancorando em universidades que mostram como seu principal diferencial ter uma academia de ginástica ou então ser perto do metrô”.

Perfeito… mostra claramente o quanto a educação se banalizou no Brasil. Ponto para o Heródoto. Ponto para o Ronnie.

31 de julho de 2009

Happy Hour na Casa Branca

Parece história de pescador: um professor negro perdeu a chave da sua casa. A polícia é chamada e um oficial (branco) da voz de prisão ao professor mesmo ele se identificando como porprietário da casa.

Conflito racial. Isso aconteceu nos Estados Unidos. Bom, depois a polêmica chegou na Casa Branca. E então, o presidente Barack Obama, opiniou favoravelmente ao professor. Até aí, tudo bem, se ele não tivesse utilizado o termo “imbecilidade”.

O que era apenas uma opinião tornou-se uma confusão. Para apaziguar os ânimos, um happy hour na Casa Branca. Cerveja, amendoins, Obama, o professor, o policial e o vice presidente.

E aí, nova polêmica. A imprensa descobriu as marcas de cerveja preferidas por cada um (curiosidade: Obama gosta de cerveja Belgo-Brasileira… será que ele é Brahmeiro?) e aí criou-se uma nova polêmica pela marca da cerveja.

Às vezes a imprensa parece que não tem muito o que fazer não é mesmo? É a morte do Michael Jackson e um possível quarto filho, a cerveja do Obama, o tamanho da mola que atingiu o Massa.

Saudades do tempo que a imprensa era mais informativa formadora de opinião. Esse “jornalismo de entretenimento” simplemente enche o saco.

29 de julho de 2009

Aulas adiadas em São Paulo

Por conta do processo de seleção para secretário escolar de que estou participando, estive ontem na escola que desejo trabalhar. Uma escola de tamanho médio (700 alunos) e contando, é claro, com todos os problemas do ensino público.

Por sorte, a equipe da escola parece ser muito boa: a diretora e a vice são muito atenciosas e todos no geral estão dispostos a ajudar bastante.

A curiosidade fica por conta das informações desencontradas. Vi muitos alunos irem até lá para saber se as aulas começam ou não. A diretora não sabia. E não é por incompetência não. Foi por falta de organização da Secretaria da Educação que não repassou as informações para a diretoria de ensino que por sua vez, não tem como passar a informação para as escolas.

A conclusão é de que é fácil apontar a escola como culpada. Mas o problema não é da escola. O problema vem de cima.

Massa

Geralmente assisto aos treinos e às corridas de Fórmula 1. Este ano não está sendo diferente. Mas, por ironia do destino, calhou deste final de semana não ter conseguido ver o treino.

E foi justamente neste treino que o Massa se acidentou.

Um bom piloto que com um carro bom nas mãos pode realmente fazer muita coisa. E aí, uma mola de suspensão tira-o de combate.

Ganhou o Hamilton. Mas eu também não vi a corrida. Ainda bem, não teria sido uma corrida interessante mesmo.

A próxima só no mês que vem.

23 de julho de 2009

O anão nazista

Pois é. Algumas coisas beiram ao exagero. Na Alemanha, uma escultura de um anão de jardim está dando o que falar. O motivo? Bom, aparente ele está fazendo uma saudação nazista no melhor estilo “Heil Hitler”.

Não é brincadeira. O portal G1 noticiou o anão. A procuradoria geral do governo alemão está investigando a preparação da obra. A dúvida é se a obra é ilegal (símbolos nazistas são proibidos na Alemanha, aliás, por motivos mais do que justificáveis) ou se é apenas uma tentativa de ridicularizar o Führer.

Se a idéia é de ridicularizar com certeza é uma boa idéia. Não vivi naquela época, mas se os filmes e os livros retratam fielmente o que aconteceu, então um anão é muito pouco. Deveria ser pelo menos os 7 anões.

21 de julho de 2009

A UNE e o movimento estudantil

A União Nacional dos Estudantes (UNE) realizou seu congresso nacional nesta última semana na cidade de Brasília. A entidade mostra ao público como sendo o órgão máximo dos estudantes e que suas opiniões refletem a opinião dos estudantes de modo geral.

É uma entidade politizada, e infelizmente, partidária. Em suas manifestações estão presentes bandeiras de partidos ditos “reacionários” como PC do B, PT, PSTU entre outros. Em minha opinião, é um grande erro misturar política partidária com movimento estudantil.

Mas será que a UNE reflete mesmo a opinião dos estudantes?

Algumas coisas para se pensar:

1) O congresso reuniu cerca de 6 mil estudantes de todo o país. Em parceria com o Ministério da Educação (MEC), utilizaram a infra-estrutura de várias escolas de educação básica utilizando as escolas como alojamento durante o evento. Após a saída dos estudantes, as instalações foram depredadas (na falta de um termo melhor), encontraram muito lixo, preservativos usados sinais de drogas e muitas bebidas alcóolicas. Eventos dessa magnitude tem um lado social é claro. Mas é isso que os estudantes pensam? O Congresso tem essa finalidade? Um lugar para drogas, sexo fácil e bebida?

2) O evento foi patrocinado pela Petrobrás que doou R$ 100 mil para a entidade na realização do evento. Eu já participei na organização de eventos na época de faculdade e sei que patrocínio é necessário, mas isso sempre implica em retorno para o patrocinador. No caso da UNE, houve uma passeata em prol do petróleo e com bandeiras de apoio à Petrobrás.

É isso o que se discute? E sobre as políticas educacionais? E sobre as mudanças no ENEM? A reestruturação da educação básica?

A UNE transformou-se quase em uma facção política. Forma futuros deputados, vereadores, pessoas nem sempre preocupadas com os rumos da nação.

Movimento estudantil? Não, apenas um bando de crianças brincando como adultos agindo de forma irresponsável.

15 de julho de 2009

Animamundi

Imagine a seguinte situação: você é uma fatia de pão de forma. No caso, a primeira fatia do pacote do pão de forma. Aquela que a maioria das pessoas despreza quando abre um pacote de pão de forma. Como você se sentiria desprezado pelas pessoas?

Parece piada, mas não é. Este é o enredo de um curta-metragem de animação que será apresentado no Animamundi 2009. O evento é uma grande mostra de filmes de animação sobre os mais variados temas. E sabe qual o principal tema dos filmes do Animamundi para este ano? As doenças e fobias sociais. Depressão, síndrome persecutória, síndrome do pânico entre outras.

O evento será realizado no Rio de Janeiro a partir de 17/07 e desembarca em São Paulo entre os dias 22 e 26 de Julho.

Aliás, sobre o pão de forma. O curta mostra o pão indo até o psicólogo e realizando sua terapia.  No mínimo, curioso…

O site é bem legal também. Aproveite para conhecê-lo.

10 de julho de 2009

A imprensa imperdoável

Correu no dia de hoje uma foto tirada pela agência Reuters onde o presidente dos EUA – Barack Obama – dá uma espiadinha nos dotes de uma jovem trajada em um vestido bem provocante. Ao lado, o presidente francês – Nicolas Sarkozy – observa a cena com um ar maroto.

A imagem foi feita durante o encontro dos líderes do G8 (os oito países mais desenvolvidos e a Rússia) que ocorreu na Itália. Ali são discutidas questões estratégicas referentes à recuperação da economia mundial, combate ao terrorismo, futuro do Iraque como nação soberana e a preocupação quanto aos programas nucleares desenvolvidos pela Coréia do Norte e Irã.

Estranho pensar nisso. São coisas bem importantes e merecem destaque e ampla discussão na sociedade. E a espiadinha do Obama foi notícia em vários noticiários, sites, jornais. Até o Jornal Nacional deu destaque para a espiadinha.

A imprensa tem o papel de informar, noticiar, relatar os fatos. Mas isso não passa de estratégia tosca para aumentar audiência, vender mais jornal e ter mais acessos nos sites. Pensei que a imprensa fosse mais responsável. Ledo engano.

Fatos e Fotos

Comecei hoje a execução de um projeto antigo: digitalizar minhas fotos de família. Lembro que minha mãe dizia que eu não gostava de tirar fotos quando era pequeno. De fato, não tenho muitas fotos e uma das primeiras fotos de que me lembro eu estava chorando.

Com o scanner emprestado da noiva eu comecei o trabalho hoje. Encontrei fotos dos tempos do Jardim de Infância no Colégio João XXIII, minha “formatura” de 8ª série no mesmo colégio (onde eu trajava um blazer bem estilo new wave anos 80), minha 1ª comunhão, a viagem ao Rio de Janeiro em 1982 e a viagem à Salvador em 1983.

Aproveitarei para digitalizar algumas fotos dos meus pais. Acabou o tempo dos pesados álbuns de fotografias.

5 de julho de 2009

Secretário de Escola – A longa espera

Em 2008 interessei-me por um concurso público para o cargo de “secretário de escola”. Aos aprovados, um salário inicial de R$ 964,00 acrescido de alguns benefícios. O local de trabalho será uma unidade escolar dentro da circunscrição da Secretária Estadual da Educação (SEE/SP).

Fiz a inscrição em Junho de 2008. A prova foi realizada em Agosto do mesmo ano e os aprovados foram divulgados em Outubro. A seguir a classificação. Fiquei em 280. Nada mau. Entretanto, deveríamos esperar a publicação com a data para escolha de vagas de acordo com a ordem de classificação.

O tempo passou e continuei meu trabalho em uma empresa privada. Infelizmente com um salário menor do que o de secretário e sem perspectiva de evolução profissional. E isso foi agravado pelo fato de pessoas exercendo a mesma função que eu recebiam salários de R$ 1.500,00. Este desequilíbrio foi delapidando aos poucos minha motivação. Realmente trabalhar naquela empresa tornou-se um grande problema. Algo que eu queria evitar.

Para ajudar, problemas de saúde. Internações, afastamento do trabalho, crises de insônias. Muitas alterações. Chegamos em 2009 e nada de sair a convocação. Assim, desmotivado, ofendido e realmente irritado com a falta de respeito da empresa, resolvi me desligar (amigavelmente) e aguardar a convocação da SEE/SP.

O mês de Março veio e foi embora sem nenhuma novidade, até que em Abril, finalmente veio a convocação para escolha de vagas. Escolhi uma escola próxima da minha casa atual e também da minha casa futura. A escolha também foi feita de modo a facilitar o meu acesso ao transporte público para que eu possa freqüentar mais uma vez a faculdade (se possível, Ciências Biológicas na USP).

Daí seríamos submetidos à uma perícia médica e – com tudo ok – seríamos nomeados e empossados. E daí, o exercício da função.

Em 25 de Maio fui à perícia. Não fui aprovado, nem reprovado. Fiquei retido para uma nova consulta com um perito em endocrinologia. Caberá a ele habilitar-me ou não.

Entrementes, publicaram a nomeação em 10 de Junho. Ou seja, desde que meu lado esteja ok, basta ir à escola e tomar posse. E trabalhar.

O pé atual da história: até agora não me chamaram para a nova perícia. Já fui algumas vezes ao Departamento de Perícias Médicas do Estado (DPME) e em nenhuma destas vez consegui algo concreto. Já fui à escola de minha escolha, onde fui muito bem recebido (muito bem mesmo) e solicitei a prorrogação de posse (estou procurando neste momento a publicação do ato no Diário Oficial do Estado) e continuo aguardando…

Por que escrevi tudo isso? Bom, porque não adianta entrar em pânico. Não adiantar brigar com ninguém. Mas isto estava entalado. Então meu blog serviu para me ouvir… mesmo que ninguém leia isto.

2 de julho de 2009

Há 15 anos atrás..

Lembro como se fosse hoje. Em 01/07/1994 fui à uma agência bancária e troquei meus CR$ 34.800,00 (Cruzeiros Reais) por R$ 12,65. Na época pensei: “Lá vem mais uma mudança de moeda e mais um corte de três zeros”. Isto foi num tempo em que o preço de um produto era “X” e amanhã “X+Y”. E às vezes “X+Y+Z” ainda no mesmo dia.

O fenômeno chama-se hiperinflação. Tempos difíceis. Quando garotinho eu recebia uma mesada de Cr$ 500,00 do meu pai. Lembro que a quantia era suficiente para comprar um gibi do Pato Donald, uma caçulinha (uma espécie de guaraná antartica em miniatura) e ainda sobra Cr$ 50,00. A moeda chamava-se Cruzeiro. Entretanto, lá por volta de de 1986 minha mesada tinha aumentado bastante: eu ganhava cerca de Cr$ 5.000,00. Mas o nosso atual presidente do senado, José Sarney, que já tinha um vasto bigode, uma cara de pau enorme (naquela época eu não estava nem aí para política, mas lembrando daquele tempo, era muita cara de pau dele vir à TV e conclamar os “Fiscais do Sarney”) e era o Presidente desta esculhambação chamada Brasil, mudou a moeda. Agora o dinheiro no Brasil chamava-se Cruzado e cortaram três zeros. Assim, Cz$ 1,00 = Cr$ 1.000,00. Eu lembro de ter ficado bravo com ele. Afinal, ele diminuiu minha mesada.

Os primeiros meses foram diferentes, o preço estável, sem grandes mudanças de preço. Mas aí tudo começou de novo. Minha mesada começou a aumentar novamente e de tempos surgiam notas mais graúdas. Para se ter uma idéia, as primeiras notas (1986) foram de Cz$ 10,00, Cz$ 50,00 e Cz$ 100,00; além de moedas com valor em centavos até Cz$ 1,00. Em 1989 as notas  já tinham valores de Cz$ 10.000,00 e Cz$ 5.000,00. Voltavámos à inflação.

Então, o desastrado presidente bigodudo lançou um novo plano econômico: o Plano Verão. Novo corte nos zeros, nova moeda: Cruzado Novo (NCz$). As notas mais graúdas de Cruzados foram carimbadas e novas notas foram impressas. Nesta época eu já entendia um pouco mais sobre o corte de zeros e sendo assim, não fiquei bravo quando minha mesa foi reduzida.

Bom, aí o Fernando Collor de Mello ganhou a eleição para presidente, assumiu e então, mais um pacote. Confisco da poupança e mudança da moeda. Voltamos ao Cruzeiro. Voltou a moeda e voltou a inflação. As primeiras notas com valores na casa da centena em pouco mais de um ano eram troco para comprar balas na padaria.

Inflação galopante e nova mudança de moeda. Desta vez, no governo “tapa-mandato” de Itamar Franco. Em 1993, novo corte de zeros e novo nome: Cruzeiro Real (CR$). Puxa, se eu tivesse 08 anos novamente (minha idade em 1984) e ainda estivéssemos nos tempos do Cruzeiro, eu seria bilionário. Afinal, considerando apenas o valor de face, temos que CR$ 1,00 = Cr$ 1.000.000,00.

Teria comprado muitos gibis e tomado muitas caçulinhas…

Aí, em 1994 veio o Fernando Henrique Cardoso, ainda como Ministro da Fazenda propondo uma tal de “Unidade Real de Valor” que era um índice atualizável de acordo com o dólar. E aí, finalmente, a inflação parou. Bom, pelo  menos diminuiu bastante.

E aí chegamos ao dia 01 de Julho daquele ano. O dia em que fui mais uma vez trocar o meu dinheiro. E nos últimos quinze anos, foi a última vez.

1 de julho de 2009

Quem é pobre trabalha mais e ganha menos…

Esta conclusão não é minha, mas sim do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) que realizou um estudo sobre a desigualdade da carga tributária entre pessoas de diferentes faixas de renda.

Segundo o estudo, famílias com renda de até dois salários mínimos comprometem 53,9% de sua renda com o pagamento de impostos e tributos diretos. Já para quem tem renda mais alta (acima de 30  salários mínimos) o impacto é bem menor: 29%.

Em termos práticos isto significa que o assalariado de baixa renda precisa trabalhar em torno de 200 dias por ano só para pagar impostos. Quase o dobro da população mais abastada (em torno de 106 dias).

Quem trabalha mais e ganha menos paga mais imposto proporcionalmente. Isso é a idéia que o governo tem de “igualdade social”?

Ouvi a notícia na rádio CBN, mas você pode encontrar facilmente mais detalhes pesquisando no Google. Vários órgãos de imprensa noticiaram isso.

29 de junho de 2009

Esportivas

Apenas algumas informações rápidas sobre o esporte.

Não estou acompanhando os jogos da seleção brasileira. Acho que o time é ruim, o técnico é ruim, a CBF é ruim. Não acredito em vitória na próxima Copa do Mundo. Mas parece que ontem jogou bonito. Raro de ser ver. Ainda mais ganhar um jogo de virada onde se perdia por 2 x o. Brasil: campeão da Copa das Confederações. Esse torneio serve para provar alguma coisa? O fato é que pelo menos este jogo eu gostaria de ter assistido.

Está mais para curiosidade do que qualquer outra coisa. O árbitro da final da Copa do Brasil é quase meu xará. Deparei-me com a notícia: “Ricardo Marques apitará a final da Copa do Brasil”. Ué? Bom, curioso como sou, lá fui eu atrás da notícia. Descobri que o árbitro se chama Ricardo Marques Ribeiro. Quase xará… sou Ricardo da Cruz Marques. Ricardo Marques para os íntimos…

A propósito… sim vou assisitir ao jogo e torcer (bastante) pelo meu Corinthians.

Fórmula 1 histórica: uma chance de rever grandes carros do passado competindo entre si em uma mesma corrida. A chance se foi. Fui ao site oficial hoje e eles informam que não conseguiram patrocínios suficientes para garantir a realização do evento. Como um jornalista do estadão bem colocou, curioso pensar que a Globo consegue patrocínio para a Meia-maratona do Rio e não consegue para uma corrida de automóveis. É uma pena. Estava muito curioso para assistir a corrida ainda que pela TV.

That’s all folks.

27 de junho de 2009

Mídias alternativas

Ouvi na rádio CBN esta manhã. Sites como YouTube, Orkut, Facebook, Twitter e similares são classificados pela imprensa como “mídias alternativas”.

É um fato: muita coisa teve uma repercussão muito maior graças a sua discussão em sites de relacionamento: a morte do Michael Jackson é só um exemplo. Os problemas sociais do Irã, o acidente do avião da Air France e a explosão da crise na GM (que quase foi a falência) tiveram ampla discussão nestas mídias.

Que estes serviços funcionam muito mais do que um simples meio de troca de informações entre usuários já estava claro para mim há bastante tempo. Que estes sites pode servir como canais de comunicação eu também já sabia. Mas será que o termo “alternativo” é justo?

Eu acho que não por vários motivos: o primeiro deles é justamente  pelo fato de que alternativo é algo fora do oficial, algo que não é utilizado pelos meios comuns; aquilo que é fora do padrão. E já são muitos programas de rádio e tv, além de site que utilizam estes serviços.

Vou citar exemplos: praticamente todos os âncoras da rádio CBN têm seus canais no Twitter. Muitos comunicadores de diversos programas também mantêm canais no Twitter e Facebook (Danilo Gentili  Marcelo Tas são dois bem conhecidos). Sites de comércio eletrônico também estão lá divulgando promoções e ofertas. Jornais impressos como “O Estado de São Paulo”, “Diário de São Paulo” e “Folha de São Paulo” também divulgam notas por lá, além das revistas “Época” e “Veja”. Até mesmo os telejornais da Rede Globo estão divulgando seus canais. Estou falando mais do Twitter porque é um serviço que utilizo, mas sei que alguns destes que citei também estão no Facebook.

O Orkut é um caso a parte… dada sua popularidade no Brasil, acaba perdendo confiabilidade pois a comunidade está repleta de perfis falsos. Acredito que o mesmo irá ocorrer em breve com o Twitter. O caso mais célebre que conheço no Twitter é o “fake” do João Gordo brigando com o Danilo Gentili (do CQC). O caso teve repercussão em alguns noticiários da Web (Terra e Uol) e chegou até mesmo a ser discutido ao vivo no programa do João Gordo na MTV (não, eu não assisti. Acho que o João Gordo é o perfil do verdadeiro babaca).

Se tantos canais “oficiais” utilizam os serviços como chamá-los de “alternativos”. Já fazem parte do cotidiano e serve como divulgação para algo maior. Exatamente como eu mesmo faço. Há mais ou menos 15 dias eu me habituei a postar no Twitter quando faço um novo post no Blog. Uma pequena chamada para algo maior.

Com amplo acesso a todas estas ferramentas, imagino que poderemos em breve dizer que a informação está em todo lugar e ao mesmo tempo em lugar nenhum. Diversidade de idéias… mas são tantas que você não terá como conhecer todas elas. E quando você tem 10 opiniões sobre um assunto, você pode formar uma opinião. Mas se você tem 1.000.000 de opiniões você não tem como formar uma opinião contestando ou concordando com tanta diversidade. Resultado: você acaba tomando mais ou menos umas dez opiniões para formar a sua. Dá quase no mesmo.

Ou pior, fala qualquer bobagem aumentando o número de opiniões sem nenhum fundamento. As mídias não são alternativas. O que temos são alternativas para buscar uma informação.

Notícias de final de semana

Um final de semana sem muitas novidades. Ficar em casa esperando por notícias da DPME (Departamento de Perícia Médica do Estado) não é um dos meus esportes favoritos.

Mas enfim, não tenho muito o que fazer. Estou aguardando alguns pagamentos por serviços prestados para alguns clientes e o pagamento não sai. Para ajudar, a fonte do meu computador pifou e agora estou somente com o laptop. Não terei como comprar a fonte por enquanto, então tenho que esperar isto também.

A boa notícia é que chegou o meu pedido do Submarino (CD do Michael Jackson). Aliás, acho que vou falar um pouco sobre isso. O programa “Ganhe Piii” realmente me ajuda a completar minha coleção de CD’s e DVD’s sem ter que gastar dinheiro. Ainda não entendi muito bem qual é o lucro deles, mas deve ser um bom lucro. Para quem não conhece, funciona assim: (1) Você se cadastra no site da promoção e baixa o discador; (2) Através da conexão à internet discada você acumula minutos de conexão; (3) Estes minutos acumulados são trocados por créditos da promoção chamados de Pii’s; (4) Você troca estes Piii’s em lojas conveniadas na proporção 1 Piii = R$ 1.

As lojas conveniadas não são pequenas… pelo contrário: Submarino, Americanas, Carrefour, Drograria Onofre e por aí vai. O truque é conectar o maior tempo possível. Sendo assim, utilizo as madrugadas da semana e o final de semana (períodos em que as tarifações são as menores aqui em SP) e aproveito a conexão ociosa para fazer downloads não urgentes já que a conexão discada é bem mais lenta. Em um mês, dá para somar tranquilamente uns 70 Piii’s.

Minha próxima aquisição será um forno de microondas. Comprarei um para o enxoval do casamento. Que aliás, está esperando a um tempão para acontecer.

Hum… esperar… é um verbo que tem sido muito utilizado em minha vida. Estou cansado de esperar.

Já comprei alguns CD’s, livros, apostilas, DVD’s

26 de junho de 2009

Morreu Michael Jackson

Dias atrás eu estava olhando no YouTube alguns vídeos dos clips antigos do Michael Jackson. Sim eu sou fã da fase “black” porque na fase white ele deixou muito a desejar.

Tenho o LP do grande sucesso Thriller que até hoje é campeão de vendas (foi o disco mais vendido de todos os tempos e acredito que estas vendas aumentarão um pouco mais agora).

E agora, ele morreu. Estranho isso… para mim ele estava naquela categoria das entidades “onipresentes”. Ou seja, a gente pensa na morte de muita gente, até na nossa própria morte. Mas esquece que astros, personalidades, pensadores, políticos, todos eles são mortais assim como nós.

A vida continua é claro.

Em tempo: acabei de comprar o CD do mesmo LP que tenho mofando em algum canto por aqui. No Jornal da Globo, informaram que este álbum vendeu 109 milhões de cópias… pois bem, agora são 109 milhões mais 1.

24 de junho de 2009

O peso do favoritismo

Esta é rápida… Espanha versus Estados Unidos. Semi-final da Copa das Confederações. Futebol – com os pés e não com as mãos – jogado pelas seleções principais. A seleção espanhola é campeã européia e está invicta há 35 jogos e com grandes jogadores. Em quem você apostaria?

Eu apostaria na Espanha. Deu Estados Unidos. Sonoros 2 x0 para a seleção americana. Resultado justo?

Leve em conta que a Espanha durante esta semana só falou da final com o Brasil. E esqueceu que antes faltava um jogo contras os americanos.

Motivos da derrota? Não sei, não sou especialista. Jogou mal. Ganhou o time mais aplicado. Perdeu o favorito e fanfarrão.

Já pensou uma final África do Sul contra Estados Unidos? Serial no mínimo curioso. E seria divertido ver a Globo simplesmente ignorar a transmissão da final.

Futebol é legal por isso… nem sempre ganha o melhor.

20 de junho de 2009

Dando um “tapa” no computador

Recentemente fiz algumas melhorias em meu computador de trabalho. O antigo completou 06 anos de serviços prestados.

Infelizmente não foi possível uma máquina nova. Na verdade, a troca do computador não estava em meus planos, mas meu cunhado encostou um Pavilion 1420br da HP. Então aproveitei a oportunidade.

Já passei por um Aptiva (1995-1999); Compaq Presario (1999-2002); um Pentium MMX 233 montado (2002-2003) e finalmente pelo meu fiel Athlon XP (2003-2009). Em 2008 além do Athlon fiquei também com laptop (Presario dv6230).

Fiz algumas alterações na máquina e acredito ter computador para pelo menos 3 anos sem grandes problemas. A nova configuração é a seguinte:

  • Processador: Pentium 4 630 (3,0 GHz/L2 2 MB/FSB 800)
  • Placa mãe: Gigabyte GA-8S661FXM-775 (Chipset SIS 661)
  • Memória: 2 GB (2 x 1GB) DDR 400 Corsair Value
  • Vídeo: XFX GeForce 6200 com 256 MB DDR2
  • Som e rede on-board
  • Disco Rígido 1: 80 GB SATA Western Digital
  • Disco Rígido 2: 40 GB PATA Seagate (Barracuda 7200 rpm)
  • Disco óptico: Gravador LG CD/DVD Multi-Speed

Parece uma boa máquina e está rodando Windows 7, Office 2007, Adobe CS3, Corel Draw X4 e Visual Studio 2008 Express.

Ainda pretendo fazer algumas melhorias: trocar por uma fonte de 500W (com potência real), trocar a placa de vídeo para um GeForce 7600 GS ou uma ATI 3650 com 512 MB e trocar o HD de 40 GB por um SATA de 250 GB.

Mas está ótimo. O Athlon está aposentado, mas terá uma aposentadoria saudável e está pronto para o serviço se assim for necessário. Estou contente com a evolução.

4 de junho de 2009

Censura nas transmissões da Globo

Semi-final da Copa do Brasil. No jogo, Corinthians e Vasco disputam a vaga na final. De um lado, o Corinthians tentando garantir sua participação na Taça Libertadores no ano do seu centenário. Do outro, o Vasco rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro busca projeção para o ano que vem.

O jogo em si não foi grande coisa. Jogando com o regulamento, o Corinthians buscou o tempo todo garantir o empate e o Vasco não teve brio para buscar o resultado. O jogo acabou em 0 x 0.

Uma situação curiosa: o grupo Sílvio Santos é um dos patrocinadores do Corinthians para este ano. Então, em sua camisa, vemos marcas do grupo: “Baú” e “Banco Panamericano”; sendo que a posição onde estão colocadas permitem uma boa visualização das marcas.

E o que a Globo fez? Oras, para não fazer publicidade gratuita para o grupo do homem do baú eles mudaram – na maior cara de pau – o enquadramento das imagens de modo a bloquear as imagens onde as marcas estão mais evidentes. Resultado: as jogadas do Corinthians sempre são mostradas à distância.

A maior palhaçada veio na entrevista no final de jogo com o Ronaldo. A câmera da Globo focalizou o Ronaldo e foi a fechando a imagem. Em certo ponto só aparecia a cabeça do jogador, cortando a testa e o queixo. Absurdo!

O grupo Sílvio Santos é um patrocinador como outro qualquer. A emissora não tem o direito de prejudicar o espetáculo por conta de impedir a visualização de um patrocinador. A Globo tem a obrigação de manter a qualidade técnica de suas transmissões. E motivos como esse mostram porque vem perdendo espaço em alguns segmentos. Já perderam as Olímpiadas para a Record. Quero ver quando perderem a Copa e a Fórmula 1.

Em breve o jeito será assistir os jogos pela Bandeirantes e ouvir a narração pela rádio CBN. Ou ficar só com a narração mesmo e voltar à era do rádio.

28 de maio de 2009

Enem

Hoje foi divulgado o calendário e formato do novo ENEM. O Exame Nacional para avaliação do Ensino Médio tem por objetivo avaliar o aprendizado dos estudantes no nivel médio. O exame também serve como parâmetro para programas como o ProUni (o maior absurdo da educação brasileira) e também como processo seletivo para algumas instituições de ensino superior.

Recentemente o MEC propôs que o ENEM fosse utilizado como um “Vestibular Nacional” para as universidades federais. Algumas aderiram, outras ainda não. O fato é que o governo está destruindo a cada dia que passa o ensino superior no país. Ao invés de priorizar a educação básica, o governo se preocupa em criar maneiras de mascarar a má qualidade de ensino e promover o acesso indiscriminado às faculdades, sem se preocupar se o aluno está preparado para isso.

Errado ou não, o exame será dividido em 4 provas em dois dias, totalizando 180 questões (além de uma redação). A realização do exame está prevista para Outubro.

Vejamos qual será a próxima burrada do governo para destruir a educação.

Trabalhar para quê?

Nesta semana, uma operação da polícia federal prendeu integrantes de uma quadrilha especializada em clonagem de cheques. Vi a notícia no portal Terra.

Até aí, mais uma notícia sobre corrupção e bandidagem no cotidiano brasileiro. O que me chamou a atenção no entanto foi a frase que um dos detidos pronunciou no ato de sua prisão: “Trabalhar para quê se eu consigo o dinheiro mais fácil do mundo?”.

A reportagem é ilustrada com a foto de um dos detidos junto a uma porção de notas de 50 e 10 reais, um celular e uma garrafa de uísque.

É um absurdo. Como tantos que acontecem por aí. Aliás, hoje também vi uma reportagem no Jornal Nacional sobre a impunidade dos congressistas na punição por infrações de trânsito. As infrações cometidas por eles simplesmente dão em nada. As multas são descartadas. Simples assim.

Afinal de contas, trabalhar para quê?

A resposta: para otários como nós trabalharmos e sustentarmos estes verdadeiros palhaços que não fazem nada para melhorar o Brasil. O que aliás, abre espaço para existam criminosos como o folgado que não quer saber de trabalhar.

Sim, fiquei revoltado…

26 de maio de 2009

Concursos

Se você é brasileiro, classe média ou qualquer uma abaixo disso, com um nível de escolaridade razoável e está procurando por emprego, uma verdade absoluta: você ainda fará um concurso público.

Poucos não percebem, mas administrar um país é semelhante a administrar uma empresa (mesmo na questão do lucro: uma empresa privada busca o lucro financeiro, a empresa “governo” busca o lucro social). E aliás, é uma grande empresa: atua em praticamente todos os setores produtivos.

Pense em qualquer serviço oferecido pelo governo. Qualquer um. Está doente e vai a um posto de saúde? Pois não, lá no posto você terá um atendente que preencherá seus dados. Um médico que o atenderá. Um enfermeiro que administrará seu tratamento, se necessário. Tem o pessoal na farmácia do posto. Tem o pessoal da segurança. Tem o pessoal da limpeza. E este povo todo não trabalha de graça.

Quer matricular seu filho em uma  escola pública? Claro: professores, diretor, pedagogo, pessoal da limpeza, cozinha, secretaria.

Ah, mas você então tem seu próprio negócio? Precisa saber se uma determinada lei já está em vigor? Sem problemas, basta ler o diário oficial. Que aliás, precisa de jornalistas, tipógrafos, redatores, fotógrafos, diagramadores, além do pessoal operacional.

Enfim, a empresa “governo” é grande… enorme. E precisa de pessoas para trabalharem nesta empresa. E curioso, sempre existe um concurso aberto. Claro que nem sempre você atenderá os requisitos, afinal, a vaga de médico requer alguém formado em medicina. Mas pense naquelas funções menos específicas que necessitam apenas do ensino médio; pipocam concursos contratando secretários, técnicos administrativos, escriturários e uma gama de tarefas que o pessoal pode escolher.

Experimente… vá ao Google e digite “Concurso público”. Milhares de sites retornarão para você. Informe-se. Pode ser o caminho para o seu problema de desemprego.

9 de maio de 2009

Completo… menos ar

Quando estou no computador, normalmente estou ouvindo rádio ou TV, dependendo do horário e do humor. Hoje o humor está para TV. Mas a verdade é que sábado de manhã é um dia horrível para televisão. À exceção do treino da F1, nada de interessante no ar.

Mas, afinal, estou trabalhando mesmo… então tanto faz o que estão transmitindo. Calhou de a TV estar sintonizada na TV Gazeta. Neste horário eles transmitem aqueles programas de comerciais.

Pois é, o comercial virou um programa. E durante o programa, em seus intervalos, comerciais dos patrocinadores do programa que transmite comerciais… confuso. Chamam isso de marketing.

São aqueles programas que duram mais ou menos 1 hora, passa um monte de propaganda (imóveis, carros, utilidades domésticas, enfim…) . Em um deles (de automóveis), a pérola: “O carro é completo, tem todos os opcionais. Completo, menos ar”.

Ué? Não é completo? Se é completo então tem tudo e se não tem algo, então não é completo. Coisa ridícula!

Na cabeça do vendedor a coisa deve ser mais complexa: existe uma categoria intermediária. Aí, teremos: “completo”, “completo menos ar” e “básico”. Sim, básico. Porque se disserem “incompleto” sempre tem uma toupeira que pensará que o carro virá sem rodas, sem motor ou sem os bancos.

Bom, o programa terminou e veio outro programa de propagandas. Agora, imóveis.

Aliás, curioso este tipo de propaganda. Todas elas vendem o apartamento dos seus sonhos, no lugar do seus sonhos, com tudo perto, sempre a um preço que cabe no seu bolso. É incrível como todo apartamento está no lugar que você precisa. Pelo menos na propaganda e no panfleto, onde tudo está sempre à 5 minutos do local do empreendimento. Dá para atravessar São Paulo em 10 minutos de acordo com estas propagandas.

Mas voltando ao programa, entrou uma apresentadora mostrando mais um apartamento dos meus sonhos afirmando “Pronto para morar. É pegar a chave e morar". Em seguida, ela mesmo afirmou: “Importante dizer que os apartamentos são entregues no contra-piso”. Ou seja, não está pronto. Você precisará colocar piso cerâmico, taco, carpete, folha de jornal, papelão, qualquer coisa.

Engraçado… o carnê sempre vem completo.

6 de maio de 2009

Windows 7 RC 1

A Microsoft liberou a versão RC1 da próxima versão do seu sistema operacional neste último dia 05. A sigla “RC1” significa “Release Candidate” ou então “Candidato ao Lançamento”. Tecnicamente é uma versão muito próxima daquela que será oficialmente lançada e teoricamente contém poucos erros. Uma versão bastante estável.

O download é feito diretamente do site da Microsoft e eu instalei em meus dois computadores a versão de 64 bits. Está rodando tudo redondo e não tive nenhum problema de compatibilidade.

Diferentemente do Windows Vista, o Windows 7 parece ser um bom sistema operacional. Robusto, leve e prático.

1 de maio de 2009

Centavos

Ok, preciso escrever algo. A mente está confusa, mas a insônia está presente. Então falarei de algo que me ocorreu hoje.

Voltando do hospital passei por uma loja da rede Habib’s. Em sua entrada um cartaz com a promoção “Bib’s fiha de carne por apenas R$ 0,49”. Passei sem me importar muito com isso.

Logo depois uma loja do McDonald’s que anunciava o Chessburger por “incríveis” R$ 1,99. Também não me importei muito. Droga, eu queria voltar logo para casa.

Um farol vermelho. Enquanto espero vejo um loja com promoções “à partir de R$ 0,99”. Abriu o farol e segui com minha mãe ao meu lado indignada por uma pessoa que acabou de sair do hospital após 4 dias de internação estar dirigindo.

Aí, me dei conta: faz um bom tempo que eu não vejo uma moeda de 1 centavo.

Oras, que hipocrisia! Por que não arrendondar? Se fosse ao McDonald’s comprar o tal hambúrguer com uma nota de R$ 2,00 muito provavelmente receberei a nota fiscal, o hambúrguer e um muito obrigado. E o centavo?

Pode parecer piada, afinal um centavo é irrisório. Mas quantos outros “1 centavo” deixamos de receber por aí? Vá a padaria. Compre pãezinhos. Suponha que o total seja R$ 2,47. O caixa cobrará R$ 2,45 ou R$ 2,50 dependendo da vontade dele. E do dinheiro que você tiver na mão.

Pois então, some os centavos que você deixa aqui e ali todos os dias e veja que os preços “alguma coisa noventa e nove” são pequenas enganações.

Sugestão? Pague com seu cartão de débito. Aí sim, os centavos reaparecerão.

Desculpem, foi o melhor que consegui fazer hoje…

Ausência

Estive ausente nos últimos dias. Infelizmente, não há um bom motivo.

Em resumo: Uma febre de 41ºC que apareceu subitamente sem nenhuma explicação, dois dias de UTI, mais dois de internação e hoje estou em casa.

A cabeça ainda está um tanto confusa. Ainda um grande cansaço e realmente – sendo repetitivo – uma grande confusão mental.

Nas últimas 2 horas li a revista Veja desta semana de ponta a ponta. Muitas idéias, muitas críticas, mas nenhuma ação.

Engraçado, mesmo aqui em casa, continuo ausente pelo visto.

24 de abril de 2009

A vergonha chamada ProUni

Saiu no jornal Folha de São de Paulo e também em reportagem do Jornal Nacional. Embora se destinem apenas a jovens com renda mensal de até um salário mínimo e meio (R$ 697,50) por pessoa da família, bolsas integrais do ProUni (Programa Universidade para Todos) foram concedidas a mais de mil proprietários de carros novos, entre eles modelos de luxo, como Honda Civic, Toyota Hilux, Ford Fusion, Vectra, Zafira, Mitsubishi Pajero e o XTerra da Nissan.

Para quem não conhece, o ProUni é um programa do Ministério da Educação, criado pelo Governo Federal em 2004, que oferece bolsas de estudos em instituições de educação superior privadas, em cursos de graduação e seqüenciais de formação específica, a estudantes brasileiros, sem diploma de nível superior.

A idéia é ajudar a quem não tem conseguiu uma vaga na rede pública e custear a formação do aluno na rede particular. Foi uma maneira de equilibrar as coisas, pois afinal de contas, os concorridos vestibulares públicos levam em consideração o candidato mais preparado e não a sua condição financeira.

Não serei hipócrita de afirmar que o ProUni é uma grande idéia. Afinal, ele não resolve o problema fundamental da educação que é criar uma educação básica (leia-se ensino fundamental e médio) de qualidade. Junto com o programa de cotas e a recente mudança nos vestibulares das Federais é apenas uma maneira de mascarar a precariedade do ensino brasileiro. Ao invés de criarmos cidadãos, empurramos semi-analfabetos para o ensino superior.

Agora vem esta notícia de que alguns “filhinhos de papai” se beneficiam do ProUni. Como pode um estudante com renda de até R$ 697,50 manter um carro destes? Não paga nem a parcela do financiamento…

Mais curioso ainda foi a posição do ministro da educação, Sr. Fernando Haddad que alega que o ProUni leva em conta a situação do candidato no momento em que o beneficiário entrou e não considera a evolução financeira do beneficiário.

Vejamos:  um Honda Civic novo custa R$ 64.365,00. Considerando uma entrada aproximada de 20%, ou seja R$ 12.800,00 (arredondei), significa que o indivíduo empregaria quase 19 meses de renda apenas para o valor da entrada, supondo que ele não use transporte público, não se alimente, não tenha despesas com moradia e vestuário e não tenha nenhuma despesa na faculdade.

Mesmo que o beneficiário tenha uma condição financeira melhor ao longo do seu curso, qual a razão então de mantê-lo no programa? Ajudá-lo no pagamento do IPVA?

O programa é mal estruturado, com poucas exceções, e não colabora para a formação de profissionais qualificados. Acho que o Sr. Lula deveria voltar seus esforços para o ensino básico e tratar de melhorar qualidade de escolas onde o aluno muitas vezes vai para ter o que comer e não para estudar.

Este governo não leva a educação a sério. Se levasse, programas de cotas e ProUni não existiriam. E teríamos um ensino básico de qualidade onde os alunos não seriam semi-analfabetos.

23 de abril de 2009

Windows 7 à Vista…

Desculpem o trocadilho. Foi inevitável.

Mas o fato é que a nova versão do sistema operacional da Microsoft está em fase adiantada de desenvolvimento. O Windows 7 como será chamado está prestes a liberar sua versão RC1 (Release Candidate). A expectativa é que o mesmo esteja disponível em Maio.

Uma explicação para quem não conhece como funciona o desenvolvimento de um SO.

Após o desenvolvimento inicial, os programadores liberam uma versão conhecida como “Alfa”. Normalmente é uma versão precária, instável e quase sem nenhuma relação com o produto final. Serve como parâmentro aos desenvolvedores.

A partir daí, a evolução da programação conduz a liberação de uma versão conhecida como “Beta”. É um produto funcional que é liberado para utilização por alguns usuários, chamados “Beta testers”. Eles utilizarão instensivamente o sistema em busca de erros e melhorias. Durante a fase Beta, a Microsoft pode optar por lançar ou não o produto para o público em geral. No caso do Windows 7, a empresa liberou o download para o público por um período de tempo.

Ainda durante a fase Beta, o programa sofre diversas melhorias e correções. Desta forma os betas evoluem para versões cada vez mais estáveis. São as chamadas “builds”. Para exemplificar, o Beta do Windows liberado para o publico corresponde à build 7000.

Teoricamente, as builds seguintes não deveriam estar disponíveis para o público em geral. Mas houve um vazamento. Aliás, mais de um. E assim, as build posteriores vazaram e muitas delas estão disponíveis em sites de P2P.

Após o estágio Beta, a empresa lança aquilo que ela considera um provável candidato ao produto acabado. Não é o lançamento oficial, mas o lançamento de um sistema pronto com todas as características do produto final que pode (ou não) sofre algum ajuste menor. Esta versão é chamada “Release Candidate” (ou Candidato ao lançamento) e nada impede que tenhamos vários RC’s.

Até onde tenho notícia, o Windows 7 está na build 7077 que por sinal está muito boa e estável. Rumores já falam em build 7078 e 7079, mas não encontrei nenhuma confirmação sobre isso. Outros rumores dizem que a 7077 será a versão 7100 que por sua vez,  será considerada a versão RC1. Como vemos, os rumores se contradizem. Resta então esperar.

Afinal, Maio está logo aí…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...