28 de maio de 2009

Enem

Hoje foi divulgado o calendário e formato do novo ENEM. O Exame Nacional para avaliação do Ensino Médio tem por objetivo avaliar o aprendizado dos estudantes no nivel médio. O exame também serve como parâmetro para programas como o ProUni (o maior absurdo da educação brasileira) e também como processo seletivo para algumas instituições de ensino superior.

Recentemente o MEC propôs que o ENEM fosse utilizado como um “Vestibular Nacional” para as universidades federais. Algumas aderiram, outras ainda não. O fato é que o governo está destruindo a cada dia que passa o ensino superior no país. Ao invés de priorizar a educação básica, o governo se preocupa em criar maneiras de mascarar a má qualidade de ensino e promover o acesso indiscriminado às faculdades, sem se preocupar se o aluno está preparado para isso.

Errado ou não, o exame será dividido em 4 provas em dois dias, totalizando 180 questões (além de uma redação). A realização do exame está prevista para Outubro.

Vejamos qual será a próxima burrada do governo para destruir a educação.

Trabalhar para quê?

Nesta semana, uma operação da polícia federal prendeu integrantes de uma quadrilha especializada em clonagem de cheques. Vi a notícia no portal Terra.

Até aí, mais uma notícia sobre corrupção e bandidagem no cotidiano brasileiro. O que me chamou a atenção no entanto foi a frase que um dos detidos pronunciou no ato de sua prisão: “Trabalhar para quê se eu consigo o dinheiro mais fácil do mundo?”.

A reportagem é ilustrada com a foto de um dos detidos junto a uma porção de notas de 50 e 10 reais, um celular e uma garrafa de uísque.

É um absurdo. Como tantos que acontecem por aí. Aliás, hoje também vi uma reportagem no Jornal Nacional sobre a impunidade dos congressistas na punição por infrações de trânsito. As infrações cometidas por eles simplesmente dão em nada. As multas são descartadas. Simples assim.

Afinal de contas, trabalhar para quê?

A resposta: para otários como nós trabalharmos e sustentarmos estes verdadeiros palhaços que não fazem nada para melhorar o Brasil. O que aliás, abre espaço para existam criminosos como o folgado que não quer saber de trabalhar.

Sim, fiquei revoltado…

26 de maio de 2009

Concursos

Se você é brasileiro, classe média ou qualquer uma abaixo disso, com um nível de escolaridade razoável e está procurando por emprego, uma verdade absoluta: você ainda fará um concurso público.

Poucos não percebem, mas administrar um país é semelhante a administrar uma empresa (mesmo na questão do lucro: uma empresa privada busca o lucro financeiro, a empresa “governo” busca o lucro social). E aliás, é uma grande empresa: atua em praticamente todos os setores produtivos.

Pense em qualquer serviço oferecido pelo governo. Qualquer um. Está doente e vai a um posto de saúde? Pois não, lá no posto você terá um atendente que preencherá seus dados. Um médico que o atenderá. Um enfermeiro que administrará seu tratamento, se necessário. Tem o pessoal na farmácia do posto. Tem o pessoal da segurança. Tem o pessoal da limpeza. E este povo todo não trabalha de graça.

Quer matricular seu filho em uma  escola pública? Claro: professores, diretor, pedagogo, pessoal da limpeza, cozinha, secretaria.

Ah, mas você então tem seu próprio negócio? Precisa saber se uma determinada lei já está em vigor? Sem problemas, basta ler o diário oficial. Que aliás, precisa de jornalistas, tipógrafos, redatores, fotógrafos, diagramadores, além do pessoal operacional.

Enfim, a empresa “governo” é grande… enorme. E precisa de pessoas para trabalharem nesta empresa. E curioso, sempre existe um concurso aberto. Claro que nem sempre você atenderá os requisitos, afinal, a vaga de médico requer alguém formado em medicina. Mas pense naquelas funções menos específicas que necessitam apenas do ensino médio; pipocam concursos contratando secretários, técnicos administrativos, escriturários e uma gama de tarefas que o pessoal pode escolher.

Experimente… vá ao Google e digite “Concurso público”. Milhares de sites retornarão para você. Informe-se. Pode ser o caminho para o seu problema de desemprego.

9 de maio de 2009

Completo… menos ar

Quando estou no computador, normalmente estou ouvindo rádio ou TV, dependendo do horário e do humor. Hoje o humor está para TV. Mas a verdade é que sábado de manhã é um dia horrível para televisão. À exceção do treino da F1, nada de interessante no ar.

Mas, afinal, estou trabalhando mesmo… então tanto faz o que estão transmitindo. Calhou de a TV estar sintonizada na TV Gazeta. Neste horário eles transmitem aqueles programas de comerciais.

Pois é, o comercial virou um programa. E durante o programa, em seus intervalos, comerciais dos patrocinadores do programa que transmite comerciais… confuso. Chamam isso de marketing.

São aqueles programas que duram mais ou menos 1 hora, passa um monte de propaganda (imóveis, carros, utilidades domésticas, enfim…) . Em um deles (de automóveis), a pérola: “O carro é completo, tem todos os opcionais. Completo, menos ar”.

Ué? Não é completo? Se é completo então tem tudo e se não tem algo, então não é completo. Coisa ridícula!

Na cabeça do vendedor a coisa deve ser mais complexa: existe uma categoria intermediária. Aí, teremos: “completo”, “completo menos ar” e “básico”. Sim, básico. Porque se disserem “incompleto” sempre tem uma toupeira que pensará que o carro virá sem rodas, sem motor ou sem os bancos.

Bom, o programa terminou e veio outro programa de propagandas. Agora, imóveis.

Aliás, curioso este tipo de propaganda. Todas elas vendem o apartamento dos seus sonhos, no lugar do seus sonhos, com tudo perto, sempre a um preço que cabe no seu bolso. É incrível como todo apartamento está no lugar que você precisa. Pelo menos na propaganda e no panfleto, onde tudo está sempre à 5 minutos do local do empreendimento. Dá para atravessar São Paulo em 10 minutos de acordo com estas propagandas.

Mas voltando ao programa, entrou uma apresentadora mostrando mais um apartamento dos meus sonhos afirmando “Pronto para morar. É pegar a chave e morar". Em seguida, ela mesmo afirmou: “Importante dizer que os apartamentos são entregues no contra-piso”. Ou seja, não está pronto. Você precisará colocar piso cerâmico, taco, carpete, folha de jornal, papelão, qualquer coisa.

Engraçado… o carnê sempre vem completo.

6 de maio de 2009

Windows 7 RC 1

A Microsoft liberou a versão RC1 da próxima versão do seu sistema operacional neste último dia 05. A sigla “RC1” significa “Release Candidate” ou então “Candidato ao Lançamento”. Tecnicamente é uma versão muito próxima daquela que será oficialmente lançada e teoricamente contém poucos erros. Uma versão bastante estável.

O download é feito diretamente do site da Microsoft e eu instalei em meus dois computadores a versão de 64 bits. Está rodando tudo redondo e não tive nenhum problema de compatibilidade.

Diferentemente do Windows Vista, o Windows 7 parece ser um bom sistema operacional. Robusto, leve e prático.

1 de maio de 2009

Centavos

Ok, preciso escrever algo. A mente está confusa, mas a insônia está presente. Então falarei de algo que me ocorreu hoje.

Voltando do hospital passei por uma loja da rede Habib’s. Em sua entrada um cartaz com a promoção “Bib’s fiha de carne por apenas R$ 0,49”. Passei sem me importar muito com isso.

Logo depois uma loja do McDonald’s que anunciava o Chessburger por “incríveis” R$ 1,99. Também não me importei muito. Droga, eu queria voltar logo para casa.

Um farol vermelho. Enquanto espero vejo um loja com promoções “à partir de R$ 0,99”. Abriu o farol e segui com minha mãe ao meu lado indignada por uma pessoa que acabou de sair do hospital após 4 dias de internação estar dirigindo.

Aí, me dei conta: faz um bom tempo que eu não vejo uma moeda de 1 centavo.

Oras, que hipocrisia! Por que não arrendondar? Se fosse ao McDonald’s comprar o tal hambúrguer com uma nota de R$ 2,00 muito provavelmente receberei a nota fiscal, o hambúrguer e um muito obrigado. E o centavo?

Pode parecer piada, afinal um centavo é irrisório. Mas quantos outros “1 centavo” deixamos de receber por aí? Vá a padaria. Compre pãezinhos. Suponha que o total seja R$ 2,47. O caixa cobrará R$ 2,45 ou R$ 2,50 dependendo da vontade dele. E do dinheiro que você tiver na mão.

Pois então, some os centavos que você deixa aqui e ali todos os dias e veja que os preços “alguma coisa noventa e nove” são pequenas enganações.

Sugestão? Pague com seu cartão de débito. Aí sim, os centavos reaparecerão.

Desculpem, foi o melhor que consegui fazer hoje…

Ausência

Estive ausente nos últimos dias. Infelizmente, não há um bom motivo.

Em resumo: Uma febre de 41ºC que apareceu subitamente sem nenhuma explicação, dois dias de UTI, mais dois de internação e hoje estou em casa.

A cabeça ainda está um tanto confusa. Ainda um grande cansaço e realmente – sendo repetitivo – uma grande confusão mental.

Nas últimas 2 horas li a revista Veja desta semana de ponta a ponta. Muitas idéias, muitas críticas, mas nenhuma ação.

Engraçado, mesmo aqui em casa, continuo ausente pelo visto.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...