16 de junho de 2010

Copa do Mundo não é uma competição que premia os melhores

Após assistir alguns jogos desta copa e de lembrar de outros momentos de copas anteriores, cheguei a uma conclusão: A Copa do Mundo não é uma competição onde a melhor equipe chega ao título.

Deixando claro que não sou nenhuma autoridade no tema e que minha opinião é baseada apenas em observações de resultados, sou obrigado a admitir que poucas vezes a melhor equipe faturou o caneco.

Sou suspeito para falar das copas de 1930, 1934 e 1938 pois realmente as informações que tenho daquelas copas são de um documentário feito pela Philips que incluiu o programa em um fita VHS promocional em seus vídeo-cassetes.

Na copa de 1930 faturou o Uruguai que era campeão olímpico (possivelmente a melhor seleção da época, apesar da melhor campanha da Argentina).

Em 1934 deu Itália. Mas era uma época em que política e futebol se misturavam muito. A Inglaterra se achava muito superior e por isto mesmo não disputava o mundial. Já o Uruguai – campeão da edição anterior – não participou em retaliação aos times europeus que não participaram da edição anterior. A Tchecoeslováquia e Hungria tinham times fortes, mas o regime fascista ao que parece tomous as precauções para que sua seleção fosse campeã.

Em 1938 deu Itália novamente. Novamente a Hungria que tinha o melhor futebol perdeu o jogo final.

Em 1950 rege a lenda que o Brasil tinha um time sensacional. Fez partidas memoráveis contra grandes equipes da época (Espanha, Iugoslávia e Suécia). Massacrou todos os adversários. E precisava apenas de um empate diante do Uruguai para sagrar-se campeão. Perdeu (de virada).

Em 1954, a Hungria era considerada uma máquina. Mas foi derrotada pela Alemanha Ocidental na final.

Em 1958, talvez o melhor tenha vencido. Dizem que o Brasil foi excepcional e ganhou merecidamente o título. E na minha opinião esta foi a primeira copa que o melhor venceu.

Em 1962 tudo é bastante nebuloso para mim. Ganhou o Brasil novamente. Dizem que Tchecoeslováquia e União Soviética tinham grandes seleções dizer.

Em 1966 ganhou a Inglaterra. Uma copa manipulada e feita sobre medida para que os inventores do futebol fossem os campeões. Até mesmo um gol irregular na final (contra a Alemanha Ocidental) existiu.

Em 1970 deu Brasil. Merecidamente. Indiscutivelmente a única copa do mundo em que COM CERTEZA ganhou a melhor seleção.

Em 1974 a Holanda tinha o famoso carrossel. Um time sensacional. Deu Alemanha Ocidental.

Em 1978 a Holanda novamente mostrava-se como uma seleção sensacional. Deu Argentina (graças a uma nebulosa goleada sobre o Peru, resultado que desclassificou o Brasil).

Em 1982, quem viu sabe do que estou falando. Foi a primeira copa que eu acompanhei. O Brasil tinha um timaço. Uma equipe genial. E a Itália faturou o caneco.

Em 1986, a Alemanha tinha uma seleção fortíssima. A Argentina, uma seleção vibrante. Deu Argentina. Talvez merecidamente.

Em  1990, finalmente a Alemanha ganhou o título. A Itália tinha o melhor time. Mas caiu na semi-final contra a Argentina nos pênaltis.

Em 1994, deu Brasil. Mas com um futebol tosco. Retrancado e contra uma Itália que foi somente a terceira de seu grupo (classificou-se no saldo de gols). Bons times como Holanda, Bulgária (surpreendente) e Romênia cairam ao longo da competição. O fato é que naquele ano não existia um time claramente favorito.

Em 1998, deu França. Ganhou com méritos mas a Holanda também tinha um grande time (foi eliminada nos pênaltis pelo Brasil na semi-final em um dos melhores jogos que já vi).

Em 2002 o Brasil ganhou. Jogou bem e venceu de modo convincente a Alemanha na final. De novo, não existiu um time claramente melhor do que os outros.

Em 2006 deu Itália. Alemanha e Portugal foram bons times.  Em termos de resultados, a Alemanha estava melhor que a Itália. Mas caiu na semifinal.

Assim, temos 18 copas (até 2006). Destas, apenas em duas (1958 e 1970) a melhor seleção levou o caneco.

Como eu disse em um post anterior. Torço pela Jabulani (a bola) que está dando um baile nos jogadores. Mas eu gostaria de ver uma seleção como a da Holanda campeã neste ano. Jogou bem e bonito. Merece o caneco. Em uma competição onde o melhor não ganha, talvez não dê Alemanha. Então que ganhe a do futebol mais bonito.

15 de junho de 2010

Em dia de jogo de Copa do Mundo, somos todos brasileiros

Expediente mais curto hoje… bandeiras por toda a parte… pessoas vestindo as cores nacionais… festa… comemoração… hoje somos todos brasileiros patrióticos.

Voltando para casa fiquei pensando como seria se nós fossemos tão patriotas para resolver outros problemas do país: resolver a corrupção… a fome… a pobreza… a educação… as diferenças sociais.

Curioso efeito esse que nos assola em dia de jogo do Brasil. Somos um país. Somos uma nação. A vitória de onze homens que estão sendo muito bem pagos para apresentar um espetáculo é a nossa vitória.

Vitória para mim é conseguir pagar minhas contas. Conseguir fazer as tarefas da faculdade. Conseguir fazer meu trabalho bem feito. Fazer com que minha noiva seja uma mulher feliz. Isso para mim é vitória.

Hoje apenas teremos um jogo de futebol… ganhar, perder, isso não importa. Sim, eu vou assistir o jogo, mas é pouco provável que vá torcer.

“Jabulani” significa “celebrar”. Devíamos pensar nisto quando fazemos as coisas que fazem diferença em nossas vidas. E não apenas quando assistimos apenas a um jogo de futebol.

Meu palpite? Brasil vencerá a partida por 2 x 0. Mas não vou fazer um carnaval por isso.

Bom jogo para todos.

14 de junho de 2010

Jabulani: a grande heroína da Copa

2010_jabulani

Não sou um fanático por futebol, mas sempre é legal acompanhar a Copa. Afinal, é a oportunidade que temos de ver seleções nacionais jogando para valer e não aqueles amistosos insossos que o Brasil joga apenas por razão contratuais. Convenhamos… Brasil x Estônia (ambas patrocinadas pela Nike) não é lá um jogão de bola.

Claro que o “pega-pra-capar” ainda não começou. Estamos na fase de grupos onde as seleções tradicionais estão em grupos separados. O Brasil por exemplo enfrentará a potência Coréia do Norte, em seguida a tradicional Costa do Marfim e por fim, encara Portugal (que provavelmente será o único jogo que valerá a pena ver).

O mesmo vale para para as outras seleções. Dos oito jogos realizados eu acompanhei seis deles. E acabei perdendo o mais interessante: Alemanha x Austrália. Não pelo confronto, afinal a terra do canguru não tem um grande time, mas pelo espetáculo. A Alemanha ganhou por 4 x 0.

Apesar dos jogos “meia-boca”, a Copa já tem a sua heroína: Jabulani. É a bola oficial da Copa 2010. Desde 1970 a Adidas é a fornecedora da pelota para os mundiais e em todas as edições apresenta uma nova edição. Em 1970 era a Telstar (a bola de futebol clássica branca com gomos pintados em preto) e ela foi revolucionária pois foi criada para facilitar a visualização da bola nas transmissões televisivas.

De lá pra cá a bola ganhou tecnologia e cores. Inegavelmente a bola é muito bonita. Tem diversas camadas de polímeros e outros cacarecos que eu não saberia explicar (leiam aqui detalhes sobre a bola)

O fato é que a bola está dando um baile nos jogadores. É chutão pra cá… chutão pra lá… bola que pega efeito… sobe demais… não sobe… chega a ser engraçado. Realmente engraçado.

Hoje volto de minha licença-saúde então não poderei acompanhar mais aos jogos. Somente os de final de semana e os do Brasil. Mas apesar disso, eu já tenho para quem torcer nesta copa. Minha torcida vai para a Jabulani.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...