19 de julho de 2012

Novos rumos

Gostaria de começar o post citando Manuel Bandeira.

Poética
Estou farto do lirismo comedido
Do lirismo bem comportado
Do lirismo funcionário público com livro de ponto espediente protocolo e manifestações de apreço ao sr. diretor.

Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário o cunho vernáculo de um vocábulo.

Abaixo os puristas.
Todas as palavras sobretudo os barbarismos universais
Todas as construções sobretudo as sintaxes de exceção
Todos os ritmos sobretudo os inumeráveis

Estou farto do lirismo namorador
Político
Raquítico
Sifilítico
De todo lirismo que capitula ao que quer que seja fora de si mesmo.

De resto não é lirismo
Será contabilidade tabela de co-senos secretário do amante exemplar com cem modelos de cartas e as diferentes maneiras de agradar &agraves mulheres, etc.

Quero antes o lirismo dos loucos
O lirismo dos bêbados
O lirismo difícil e pungente dos bêbados
O lirismo dos clowns de Shakespeare.

- Não quero saber do lirismo que não é libertação.
Manuel Bandeira

A ideia de manter um site já é antiga. Desde a primeira versão até a publicação atual já são quase 16 anos. Nunca foi um site de grande público. Já pensei em fazê-lo apenas como um site pessoal, um site profissional, um site confessional, um site opinativo, mas confesso que nunca consegui seguir à risca os modelos preconizados.

Além do site também iniciei um blog. Um blog de opinião. Falei dos mais diversos assuntos: política, tecnologia, informática, educação, desabafos entre tantas outras coisas. E é bom fazer um blog. Ajuda a desenvolver o raciocínio.

Raciocínio este que nem sempre pode ser aproveitado integralmente. A censura velada por parte de pessoas em meu meio profissional me impediu (e ainda me impede) de várias vezes expor minhas opiniões.

Mas entre censuras e retaliações eu pude várias vezes escrever o que penso.

Neste descanso forçado chamado “Recesso Escolar” aproveitei para explorar um pouco mais as ferramentas disponibilizadas pelo blog. Aproveitei também para atualizar o site.

Manter um site nem sempre é fácil. Ainda mais se, além do contéudo, você é o responsável pelo desenvolvimento do layout do mesmo. Requer trabalho e tempo. Tempo de que não disponho.

Ao mesmo tempo, o blog me permite pensar apenas no conteúdo, sem a preocupação com o layput. Basta alguns cliques e as cores, tipos e demais itens de design estão prontos.

Resolvi então dar um basta. Eu não estava fazendo um site bem feito nem atualizando o blog como se deve. Então pretendo unir os dois mundos: manter o blog e absorver o conteúdo do site a ele. A estrutura do Blogger (serviço de blogs que utilizo) me permite isso. O Wordpress também tem as ferramentas necessárias, mas uma questão foi determinante na escolha do serviço: o domínio próprio.

Há alguns anos o site conta com o domínio próprio www.ricardomarques.pro.br. Pretendo direcionar o conteúdo do blog para este endereço de modo gratuito, algo que – até onde pesquisei – o WordPress não me permite.

Assim, aos poucos, os elementos do site serão incorporados ao blog que na verdade será uma mistura de site e blog. Aproveitei a ideia para alterar o layout do mesmo. Deixá-lo mais clean. E espero ter atingido o objetivo.

Aguardem então por novas atualizações. Espero que desta forma elas estejam mais constantes.

Por fim, um pequeno desabafo. Ouvi por algumas vezes que eu gasto meu tempo com “bobagens como tweeter, blog e sites”. É um hobby e uma diversão… alguns vão à shows musicais, viagens internacionais, etc… Outros fazem blogs. Tudo que peço é respeito a diversidade. Nem sempre àquilo que você considera correto é o correto para todos.

Respeito cabe em qualquer lugar… e algumas pessoas deveriam ter aprendido isso há muito tempo.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...