21 de agosto de 2012

E agora para vocês, mais um horário eleitoral…

Hoje começa mais uma temporada de horário eleitoral gratuito. Mais uma vez, as mesmas caras de sempre pedirão pelo nosso voto. Mais uma vez pessoas que nunca vi farão chamadas na televisão e no rádio prometendo mundos e fundos. Mais uma vez a mesma história.

Muita coisa me incomoda em política. Ainda assim é importante acreditar que algo pode ser feito. Que alguém em toda aquela turma tenha boas ideias. Que possa fazer algo melhor.

Enquanto escrevo este texto, estou assistindo parte do programa eleitoral. Já vi ex-ministro candidato a vereador, cantor de pagode também, ex-jogador de futebol, , esportistas, políticos “profissionais” (aqueles que nunca ganham eleição mas tem como hobby participar de todo o circo) e até mesmo alguns que se apoiam em grandes nomes do passado (Fulano filho… Beltrano neto e por aí vai) e até mesmo ex-celebridades como cantores e participantes de reality shows. Basicamente, os candidatos apresentam seu nome e seu número. Algumas frases de efeitos e pronto: temos uma campanha eleitoral.

Alguns até falam com certa lucidez, outros visivelmente são oportunistas em busca de uma “boquinha” na administração pública. Outra coisa engraçada é ver alguns políticos engajados com projetos anteriores que literalmente viraram a casaca. Em eleições anteriores estavam de um lado e agora estão no lado oposto…

Eu não entendo isso.

O pior é que muitos serão eleitos não por suas propostas, não por suas ideias e convicções políticas. Serão eleitos pela propaganda, por uma grande sacada de marketing.

O pior de tudo? Não tenho nenhum candidato… nem a prefeito e nem a vereador. Não… não pretendo fazer um uma defesa partidária doentia. Só gostaria que a eleição gerasse um debate sério sobre como tornar a cidade um lugar melhor.

Mas como isto pode acontecer se nem mesmo os candidatos estão dispostos a iniciar um debate?

É uma pena…


By José Cruz (Agência Brasil) – Creative Commons 3.0 Brasil

11 de agosto de 2012

A lesson well learned(*)

(*) Alguns poderão estranhar mas este post é uma repetição do anterior, só que em inglês. O motivo disto é facilitar a compreensão do conteúdo para o colega Martin Liebermann, pois graças à sua intervenção foi possível aprender a utilizar melhor o conteúdo protegido por direitos autorais.

As most of you know, I've been keeping the site for nearly 16 years. The blog must be about three or four years. During this time, I've written the posts and often have my words illustrated with some photos and illustrations. Some photos I make them myself, others - mainly electronic devices - I got them onto the manufacturers’ site. About the illustrations, some I create in Corel Draw and others I was looking at Google.

I must confess I never thought about copyright’s issues. Of course I know about copyright and I know that a text, a song, an image always have an author. But in a universe as vast as the Internet, I believed I would be very difficult to locate the author of an illustration or a photo. Further obtained by the search engine Google.

This began to change my mind when I was recently contacted by a German photographer on the misuse of an copyrighted image.

It all started when I published my post "Crossroads." The publication occurred on 25.1.2012 and the text was very well received by my friends. The text was about the difficulty of my life choices along time. And every choice I put myself metaphorically at a crossroads. As usual, I used some images by searching the term “Crossroads”. And in the beggining of the post I publish this beautiful picture:

crossroads

On February 11 I received in my email, a message from a photographer named Martin Liebermann. I reproduce below a small excerpt from his email:

Hello Ricardo Marques,
I just found my copyrighted image “Crossroads” on your blog page [link].
You used it without my permission, without giving me author credits and without copyright information. (…) I'm sure you have done so without any intention to harm me - but through negligence you have infringed my rights as an author.(…)

A free translation of the message is more or less like this:

Olá Ricardo Marques,
Encontrei uma imagem minha em seu blog [link]. Você a utilizou sem minha permissão e sem informar os créditos e informações de copyright. (…)  Eu tenho certeza que você fez isso sem nenhuma intenção de me prejudicar, mas por conta desta negligência você infringiu meus direitos como autor.(…)

The email contained some information about your beautiful work and how I could use your images without violating their copyright.

Actually I came to read this email long after, because I do not usually use Gmail. So, to make things worst I just reply the message only on 25 July.

In my answer, of course I apologized. I also change the post and included the proper credits. Although I corrected the problem, it was a fact: I had not acted correctly and had breached its copyright.

Dissatisfied with my behavior, I tried to find out more about how to use images and other content without violating anyone's copyright. I tried researching on the original publications and found many texts on the subject.

That's when I decided to take the attitude that I think is the most correct: I tried to organize things here and myself determined to utilize material that only properly authorized and texts of my own. I started to use a license by  Creative Commons. In addition, all posts that contain some kind of image, must have the copyright information. This can already be seen in the post "The commercial journalism." Notice that the image when clicked leads to the website of the author of the picture. Also insert the watermark with the information of the copyright holder of the image.

With the reorganization of the site, the blog page has become the principal. And at the beginning (top right) I report on the license on the use of images and a link to an article that talks about copyright on the website of designer Fabio Lobo. Of course I contacted him and gets his permission. Therefore, the link and the quote are duly authorized by the author.

I learned my lesson from this episode. I learned that I must respect the copyright in the same way I wish my texts are also respected.

Ah yes ... recently received a nice response from Martin. He accepted my apologies and allowed me to use the image in question. In addition, informed me that beyond that image, there are many other images on your site that are provided by the same license to use that I use (Creative Commons).

Now, with everything in order (at least from now on), I can proceed for a peaceful way ...

Weg auf dem Lindenberggrat

And this time, legally.

I’d like thanks to Martin Liebermann and Fabio Lobo to help me understand this issue.

Uma lição bem aprendida

Como muitos sabem, venho mantendo o site há quase 16 anos. Já o blog deve ter uns três ou quatro anos. Durante todo este tempo venho escrevendo texto e muitas vezes tenho ilustrado minhas palavras com algumas fotos e ilustrações. Algumas fotos eu mesmo faço, outras – principalmente a de dispositivos eletrônicos – eu pego no site dos fabricantes. Quantos as ilustrações, algumas eu crio no Corel Draw e outras eu procurava pelo Google mesmo.

Confesso que nunca pensei na questão dos direitos autorais. Claro que conheço a questão dos direitos autorais e sei que um texto, uma música, uma imagem sempre possuem um autor. Mas em um universo tão vasto quanto a Internet, acreditei que seria bem complicado localizar o autor de uma ilustração ou uma foto. Ainda mais obtida pelo mecanismo de busca do Google.

Esta minha crença começou a mudar recentemente quando fui contactado por um fotógrafo alemão sobre o uso indevido de uma imagem sua.

Tudo começou quando publiquei meu post “Encruzilhadas”. A publicação ocorreu em 25/01/2012 e o texto foi muito bem recebido pelos meus amigos. O texto tratava da minha dificuldade sobre as escolhas que a vida me impôs ao longo do tempo. E cada escolha eu me colocava metaforicamente diante de uma encruzilhada. Como de costume, usei algumas imagens encontradas através da busca do termo Crossroads. E logo no início do post eu inseri esta bela imagem:

crossroads

Em 11 de Fevereiro recebi no meu e-mail do Gmail uma mensagem de um fotógrafo chamado Martin Liebermann. Reproduzo abaixo um pequeno trecho do seu e-mail:

Hello Ricardo Marques,
I just found my copyrighted image “Crossroads” on your blog page [link].

You used it without my permission, without giving me author credits and without copyright information. (…) I'm sure you have done so without any intention to harm me - but through negligence you have infringed my rights as an author.(…)

Traduzindo livremente, fica algo assim:

Olá Ricardo Marques,
Encontrei uma imagem minha em seu blog [link]. Você a utilizou sem minha permissão e sem informar os créditos e informações de copyright. (…)  Eu tenho certeza que você fez isso sem nenhuma intenção de me prejudicar, mas por conta desta negligência você infringiu meus direitos como autor.(…)

O e-mail continha algumas informações sobre seu belo trabalho e como eu poderia utilizar suas imagens sem violar seus direitos autorais.

Na verdade eu vim a ler este e-mail bem depois, pois não costumo utilizar o Gmail. Assim, para piorar a situação eu só respondi a mensagem em 25 de Julho.

Em minha resposta, obviamente pedi desculpas. Tratei também de alterar o post e incluir os devidos créditos. Apesar de corrigir o problema, era um fato: eu não havia agido corretamente e havia desrespeitado seus direitos autorais.

Insatisfeito com minha postura, tratei de pesquisar mais sobre como utilizar imagens e outros conteúdos sem violar os direitos autorais de alguém. Tratei de pesquisar sobre publicações originais e encontrei muitos textos sobre o assunto.

Foi aí que resolvi tomar a atitude que penso ser a mais correta: tratei de organizar as coisas por aqui e determinei a mim mesmo que só utilizaria material devidamente autorizado e textos de minha autoria. Passei a utilizar uma licença de uso da Creative Commons. Além disso, todos as postagens que contenham algum tipo de imagem, terão obrigatoriamente a informação de copyright. Isto já pode ser percebido no post “O jornalismo comercial”. Reparem que a imagem quando clicada leva ao site do autor da imagem. Além disso inseri a marca d’água com a informação do detentor dos direitos autorais da imagem.

Com a reorganização do site, a página do blog se tornou a principal. E logo no início (no topo à direita) eu informo sobre a licença de uso, sobre o uso das imagens e um link para um artigo que fala sobre direitos autorais no site do designer Fábio Lobo. Claro que tratei de contactar o mesmo para obter sua autorização. Portanto, o link e a citação estão devidamente autorizadas pelo seu autor.

Aprendi minha lição com este episódio. Aprendi que devo respeitar o direito autoral da mesma forma que gostaria que meus textos sejam também respeitados.

Ah sim… recentemente recebi uma gentil resposta de Martin. Ele aceitou minhas desculpas e me autorizou a utilizar a imagem em questão. Além disso, me informou que além daquela imagem existem muitas outras em seu site que são disponibilizadas pela mesma licença de uso que utilizo (a Creative Commons).

Agora, com tudo em ordem (pelo menos daqui em diante), continuarei por um caminho tranquilo…

Caminho de Lindenberggrat, Abendlicht

E desta vez, dentro da legalidade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...