11 de agosto de 2012

Uma lição bem aprendida

Como muitos sabem, venho mantendo o site há quase 16 anos. Já o blog deve ter uns três ou quatro anos. Durante todo este tempo venho escrevendo texto e muitas vezes tenho ilustrado minhas palavras com algumas fotos e ilustrações. Algumas fotos eu mesmo faço, outras – principalmente a de dispositivos eletrônicos – eu pego no site dos fabricantes. Quantos as ilustrações, algumas eu crio no Corel Draw e outras eu procurava pelo Google mesmo.

Confesso que nunca pensei na questão dos direitos autorais. Claro que conheço a questão dos direitos autorais e sei que um texto, uma música, uma imagem sempre possuem um autor. Mas em um universo tão vasto quanto a Internet, acreditei que seria bem complicado localizar o autor de uma ilustração ou uma foto. Ainda mais obtida pelo mecanismo de busca do Google.

Esta minha crença começou a mudar recentemente quando fui contactado por um fotógrafo alemão sobre o uso indevido de uma imagem sua.

Tudo começou quando publiquei meu post “Encruzilhadas”. A publicação ocorreu em 25/01/2012 e o texto foi muito bem recebido pelos meus amigos. O texto tratava da minha dificuldade sobre as escolhas que a vida me impôs ao longo do tempo. E cada escolha eu me colocava metaforicamente diante de uma encruzilhada. Como de costume, usei algumas imagens encontradas através da busca do termo Crossroads. E logo no início do post eu inseri esta bela imagem:

crossroads

Em 11 de Fevereiro recebi no meu e-mail do Gmail uma mensagem de um fotógrafo chamado Martin Liebermann. Reproduzo abaixo um pequeno trecho do seu e-mail:

Hello Ricardo Marques,
I just found my copyrighted image “Crossroads” on your blog page [link].

You used it without my permission, without giving me author credits and without copyright information. (…) I'm sure you have done so without any intention to harm me - but through negligence you have infringed my rights as an author.(…)

Traduzindo livremente, fica algo assim:

Olá Ricardo Marques,
Encontrei uma imagem minha em seu blog [link]. Você a utilizou sem minha permissão e sem informar os créditos e informações de copyright. (…)  Eu tenho certeza que você fez isso sem nenhuma intenção de me prejudicar, mas por conta desta negligência você infringiu meus direitos como autor.(…)

O e-mail continha algumas informações sobre seu belo trabalho e como eu poderia utilizar suas imagens sem violar seus direitos autorais.

Na verdade eu vim a ler este e-mail bem depois, pois não costumo utilizar o Gmail. Assim, para piorar a situação eu só respondi a mensagem em 25 de Julho.

Em minha resposta, obviamente pedi desculpas. Tratei também de alterar o post e incluir os devidos créditos. Apesar de corrigir o problema, era um fato: eu não havia agido corretamente e havia desrespeitado seus direitos autorais.

Insatisfeito com minha postura, tratei de pesquisar mais sobre como utilizar imagens e outros conteúdos sem violar os direitos autorais de alguém. Tratei de pesquisar sobre publicações originais e encontrei muitos textos sobre o assunto.

Foi aí que resolvi tomar a atitude que penso ser a mais correta: tratei de organizar as coisas por aqui e determinei a mim mesmo que só utilizaria material devidamente autorizado e textos de minha autoria. Passei a utilizar uma licença de uso da Creative Commons. Além disso, todos as postagens que contenham algum tipo de imagem, terão obrigatoriamente a informação de copyright. Isto já pode ser percebido no post “O jornalismo comercial”. Reparem que a imagem quando clicada leva ao site do autor da imagem. Além disso inseri a marca d’água com a informação do detentor dos direitos autorais da imagem.

Com a reorganização do site, a página do blog se tornou a principal. E logo no início (no topo à direita) eu informo sobre a licença de uso, sobre o uso das imagens e um link para um artigo que fala sobre direitos autorais no site do designer Fábio Lobo. Claro que tratei de contactar o mesmo para obter sua autorização. Portanto, o link e a citação estão devidamente autorizadas pelo seu autor.

Aprendi minha lição com este episódio. Aprendi que devo respeitar o direito autoral da mesma forma que gostaria que meus textos sejam também respeitados.

Ah sim… recentemente recebi uma gentil resposta de Martin. Ele aceitou minhas desculpas e me autorizou a utilizar a imagem em questão. Além disso, me informou que além daquela imagem existem muitas outras em seu site que são disponibilizadas pela mesma licença de uso que utilizo (a Creative Commons).

Agora, com tudo em ordem (pelo menos daqui em diante), continuarei por um caminho tranquilo…

Caminho de Lindenberggrat, Abendlicht

E desta vez, dentro da legalidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...