23 de janeiro de 2015

Análise: Tec-Toy Veloce TT-5000

Pois bem… como alguns se lembram, há algum tempo eu anunciei minha traição a causa do Windows Phone. Por conta da necessidade de me adequar àquilo que o mercado oferece, acabei adquirindo um tablet com Android.

WP_20141125_017

Neste texto vou falar um pouco de como foi (isso mesmo… no pretérito) minha experiência com o mundo do robozinho verde.

Se você não está a fim de ler o texto, vou resumir em uma frase: não vale a pena.

Agora, se você quiser entender minhas razões, leiam o texto até o fim.

Sobre o tablet

Inicialmente, uma observação: sugiro a leitura de reviews mais detalhados como este do Tecmundo ou este do Ztop. Não é minha intenção fazer propaganda do dispositivo, mas apenas contar como foi minha experiência.

É necessário afirmar que este tablet da Tectoy foi pensado para o mercado low profile. Ele passa longe de um topo de linha. Eu pesquisei muito antes de optar por ele e a conclusão que cheguei é que dos mais baratinhos ele é o que tem melhor relação custo x benefício. Os tablets básicos da Samsung ficam em um patamar de preço maior (cerca de R$ 100 a mais).

A seu favor conta o fato dele ser um lançamento recente (Agosto/2014), de contar com processador Atom Dual Core da Intel, de ser leve (bem leve, aliás) e possuir uma tela nítida.

Contra ele pesam o o sistema de áudio (que fica muito a desejar, mesmo em volumes baixos de som), as câmeras (ele conta com uma traseira de 2,0 mega pixels e uma frontal de 0,8 mega pixels… juntas não somam uma câmera razoável), uma versão desatualizada do Android (sem possibilidade de atualização) e uma tela bem frágil.

Sim… tela frágil. Pois, após 8 dias usando o aparelho, a tela trincou. Não prejudicou o fucionamento do aparelho, mas considerando que o aparelho caiu no tapete a uma altura de 40 cm (sim, eu medi) e que o meu Lumia já levou tombos bem piores, a tela é muito fraca.

O aparelho em si é muito bonito e o processador dá conta do recado. Achei chato este negócio de não poder instalar apps no cartão de memória. Achei mais chato ainda este tablet não ser compatível com a versão do Office para Android (e com isso fiquei limitado à péssima suite que acompanha o Jelly Bean.

Não tenho queixas quanto aos apps… Mas sinceramente, não vi produtividade. Usar o teclado virtual é muito chato (principalmente depois do wordflow do Lumia) e a resposta deixa bastante a desejar.

Ele é um aparelho básico para tarefas extremamente básicas: ver os e-mails, tuítar, atualizar o Facebook, navegar por alguns sites e assistir a vídeos. Para alguns jogos casuais ele também é bom. Mas não se engane… você não conseguirá fazer muito mais que isso com ele.

Sendo realista, é pouco mais do que uma agenda eletrônica com algumas funcionalidades extras.

Uma diferença que para mim seria fundamental seria o uso do app Estadão para ler o jornal on-line. Não existe um app para o Windows Phone nem mesmo para o Windows (é necessário usar uma interface web ou baixar as páginas em PDF, o que é bastante trabalhoso). Mesmo o app vez outra apresentava algum bug e não permitia salvar as edições no cartão de memória. Em pouco tempo, a memória estava lotada.

Tenho que admitir… não gostei da experiência Android. E isto me deixa mais puto com o mercado nacional que simplesmente esnoba o desenvolvimento para apps Windows/Windows Phone.

Sobre o Android

Fraco… isto resume bem minha impressão sobre ele. Muitas configurações inúteis que poderiam ser trabalhadas pelo desenvolvedor para que fossem transparentes ao usuário. Não há também um esmero quanto a interface. Ela é aquilo que é…

O fato de não poder atualizar o tablet para pelo menos a versão Kit Kat é imperdoável. Já tive a oportunidade de olhar o Lolipop de perto e a melhora é significativa. Muito injusto deixar esta atualização de lado.

Opinião

Já sei… os críticos dirão que se eu quero potência, que comprasse um Galaxy Note, certo? Certo… mas isso prova o ponto que venho defendendo há alguns anos. O Windows Phone entrega uma experiência muito melhor e mais fluída, mesmo em configurações mais modestas.

O Android para mostrar alguma qualidade precisa de uma configuração robusta. Caso contrário, ele funciona precariamente.

Enfim… é um tablet barato com potência suficiente para tarefas básicas. Totalmente fora de cogitação trocar um laptop por este tablet (mesmo porque sua autonomia é risível). Sua tela rachada na segunda semana de uso, sua incompatibilidade com alguns apps importantes e seu sistema operacional fraco me permitem concluir que é uma pena que o mercado não queira dar uma chance para os dispositivos com Windows/Windows Phone.

Em breve, justificarei as razões desta minha opinião. Aguardem pelos próximos textos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...